Onda de frio no inverno brasileiro 2016 pode ser de importância excepcional!

UPDATE: 

Um fato bastante curioso, o Oceano Atlântico, o que é entre a América do Sul e África, continua a arrefecer lentamente. 

09 de junho de 2016

Ao largo da costa Africana do Golfo da Guiné, as temperaturas estão caindo. Normalmente nessa área deve manter o 30 ° C.
Em vez disso diminuiu entre 26 e 29 ° C … pouco mais …
Isso não é atualmente um fato relevante … no sentido de que olhando apenas esta única telha, não podemos fazer quaisquer previsões . Mas é importante lembrar que o calor transportado pelo AMOC no norte da Europa, também vem a partir desta área. E se esta zona é arrefecida, a Europa do Norte também se destina, no espaço de alguns meses, para se refrescar em conformidade.

 

Ocean_currents_1943

 

O frio e as geadas estão a afetar a maioria da América do Sul, como uma “resposta” da chegada  da Nina no clima sul americano, que tem sido sempre associada com invernos rígidos dessas áreas.

 

A temperatura caiu ontem 7 de junho 2016 para um valor de -3,6 ° C na área do Rio Grande do Sul, na aldeia de Soledado e Porto Alegre atingiu a temperatura de 4,0 ° C.

Mas espera-se a chegada de uma massa de ar Antartica que vai longe ao norte, envolvendo todas essas áreas: espera-se que o mesmo  Porto Alegre pode cair abaixo de zero!

No ano passado, a área do sul do Brasil teve 15 dias com locais com temperaturas abaixo de zero; Este ano já houve 13 dias de geada, e o inverno astronômico ainda não foi iniciado.

Na imagem, a massa de ar frio de origem Antártida chegando ao sul do Brasil, também com a possibilidade de neve em áreas altamente incomuns e isotérmicas torno de -5 ° C a 1430 metros.

07 de junho 16 de Rsamavn722

As previsões do centro de informática US GFS mostra, para os próximos sete dias, um resfriamento significativo do continente antártico, o que levará a significativamente menor  valores sazonais do que normais.

As mapas atuais mostram, até 168 horas de anomalias térmicas que irá atingir 5-7 ° a abaixo do normal na maior parte do continente, com exceção da parte ocidental, a da Península Antártica, onde as temperaturas estarão acima do normal.

Isto, juntamente com a onda de frio que vai atingir a América do Sul, assim o Hemisfério Sul trará temperaturas até valores de -1 ° C. abaixo do normal, um evento que não tinha ocorrido a mais de um ano, e que mostra como  o sul e sul este do Brasil, Argentina, Uruguay está preste a conhecer um particularmente duro inverno.

06-Jun-16 ANOM2m_mean_antarc

06-Jun-16 ANOM2m_mean_mollw

TAMBÉM PELO SITE CLIMATEMPO O FRIO ESTÁ CHEGANDO 

O frio está apenas começando e quem não se dá bem com as baixas temperaturas vai sofrer com tempo pelo menos por mais uma semana. Os paulistas devem se preparar para muito mais frio do que se sentiu na manhã desta quarta-feira, 8 de junho.

A nova dose de ar polar apenas começou fazer efeito em São Paulo. Vai esfriar ainda mais até a terça-feira da próxima semana. O ar polar que já está sobre São Paulo será reforçado, como em todo o centro-sul do Brasil, fazendo a temperatura baixar ainda mais. As próximas madrugadas serão geladas no estado de São Paulo e vários recordes de frio serão batidos. A Grande São Paulo, e a maioria das regiões do interior e até o litoral,  vão experimentar o frio de temperatura abaixo dos 10°C ao amanhecer por vários consecutivos. As cidades próximas do Paraná devem ter temperaturas entre 0°C e 6°C.

 

Menos de 10°C na capital paulista

Na cidade de São Paulo, oficialmente a temperatura mínima nesta quarta-feira, 8, foi de 10,2°C pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona norte. Mas no aeroporto Campo de Marte, também na zona norte, a temperatura chegou aos 9°C.

Nos próximos dias, São Paulo terá sucessivos recordes de frio. A menor temperatura em 2016 por enquanto é 9,5°C em 24 de maio.

A forte atuação do ar polar reduziu drasticamente o nível de umidade no ar, a nebulosidade e trouxe o sol e o céu azul.  Na região do Campo de Marte, a umidade relativa do ar às 13 horas de 8 de junho estava em 37%. No mesmo horário, no dia 7, a umidade relativa do ar era de 82%.

Confira os locais no interior e litoral onde a temperatura ficou abaixo dos 10°C em 8 de junho.

 

 

 

Geada

Agricultores do sudoeste, sul e leste do estado, incluindo a região da Grande São Paulo, de Sorocaba, de Campinas, cidades do Vale do Paraíba e da serra da Mantiqueira devem ficar muito atentos para o frio intenso nos próximos dias, pois o risco de geada aumenta cada vez mais até a segunda-feira, 13 de junho.

Para os dias 9 e 10 de junho, a possibilidade de geada é considerada para o sul de São Paulo e para a serra da Mantiqueira. No dia 11, o risco é apenas para o sul do estado. Mas nos dias 12 e 13 de junho, que deve ser os dias com frio mais intenso, o risco de geada aumenta e é considerado para todo o sudoeste, sul e leste de São Paulo.

Este ano, o sul de São Paulo já registrou geada três vezes. A imagem é de Guapiara, na onda de frio do fim de abril.

 

RJ registra tarde mais fria do ano

O tempo fechado e a entrada deste ar mais frio polar determinaram uma tarde com recorde no Rio de Janeiro. De acordo com os dados do Inmet, a tarde desta quarta-feira (8), foi a mais fria do ano, até agora com 14,9°C no Alto da Boa Vista. O recorde atual de madrugada mais fria do ano pertence ao dia 24 de maio quando a temperatura mínima foi de 13,4°C. Este recorde pode ser batido já nesta quinta-feira (9).   

 

 

A próxima madrugada será fria com garoa na cidade do Rio de Janeiro, mas ao longo do dia o tempo abre, mas o frio só vai aumentar por todo o estado. Uma massa de ar polar que está atuando sobre o Sudeste vai derrubar a temperatura nos próximos dias. De acordo com a Climatempo, até o início da próxima semana recordes de frio podem ser batidos em várias localidades.

Nos próximos dias, a atenção deve ser redobrada nas estradas, áreas de baixada e serra. Há previsão de névoa e nevoeiro nas primeiras horas da manhã o que pode prejudicar a visibilidade.

Mar agitado

A passagem de um grande e forte ciclone extratropical ao largo da costa da Argentina e Uruguai irá contribuir para deixar o mar agitado. O deslocamento deste sistema pelo Atlântico Sul causa uma forte agitação marítima que avança para a costa do Brasil.

Na quinta-feira, o mar sobe no litoral do Sudeste. O mar fica bastante agitado com previsão de ondas de até 3 metros nas praias fluminenses com ressaca em algumas praias. A tendência é de que o mar continue subindo até o fim de semana na costa do Sudeste com risco de ressaca em algumas praias.

 

Duas frentes frias vão chegar à BA

Uma frente fria avança pelo mar na altura do Espírito Santo e já deve atingir o sul da Bahia nesta quinta-feira (9). O oeste e sul baiano terão aumento de nebulosidade e há condições para algumas pancadas de chuva. Alguns municípios como Caravelas, Porto Seguro, Bom Jesus da Lapa, Barreiras, vão sentir a influência dessa frente fria. O sistema deve avançar por alto mar sem alcançar Salvador, mas acaba provocando um pouco de chuva na capital na sexta-feira (10). 

No fim de semana, outra frente fria vai conseguir chegar ao sul da Bahia beneficiando novamente a parte sul e oeste do estado com previsão de mais pancadas de chuva. De acordo com os meteorologistas da Climatempo, apesar da passagem dessas duas frentes frias até o começo da semana, a chuva não será volumosa pelo interior do estado e na região do Recôncavo Baiano. 



Bahia enfrenta seca generalizada
 

Em Barreiras, no oeste baiano, as últimas chuvas volumosas aconteceram em março com um acumulado total aproximado de 90 milímetros. Nos meses de abril e maio, os valores não passaram nem de 5 milímetros. A situação no município foi atípica em janeiro de 2016, quando Barreiras teve um acumulado extremamente elevado chegando a 600 milímetros pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Em Bom Jesus da Lapa, também no oeste do estado, a última chuva mais significativa aconteceu em janeiro. Nos últimos meses a situação da seca foi só se agravando. 
No caso da capital baiana, a chuva só superou a média climatológica também no começo do ano, em janeiro. No mês passado, Salvador registrou aproximadamente 235 mm segundo dados do INMET, 28% abaixo da média histórica de maio que é de 325 mm. Junho começou com um pouco de chuva, cerca de 14 mm na cidade.   

O Ministério da Integração Nacional junto à Defesa Civil do estado da Bahia, reconhece atualmente 22 municípios em situação de emergência. 

PR registra menor temperatura no BR em 2016

Sul congelado: PR registra menor temperatura no BR em 2016

O amanhecer de 8 de junho foi o mais frio no Brasil este ano. O estado do Paraná registrou a menor temperatura no país, com 4,5°C abaixo de zero na cidade de General Carneiro, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. O recorde anterior era de 4,3°C abaixo de zero em Urupema, na região serrana de Santa Catarina, em 19 de maio, pela medição do Epagri-Ciram.

O frio intenso desta quarta-feira foi provocado por uma massa de ar polar moderada a forte que entrou no Sul do Brasil. O centro da massa polar, que é a região mais fria, passa sobre a Região Sul e por isso as temperaturas ficaram muito mais baixas do que nos últimos três dias. Toda massa de ar polar é um sistema de alta pressão atmosférica, que causa do fenômeno da subsidência do ar. Isto faz com que a nebulosidade diminua e a falta de nuvens no período noturno acentuou o resfriamento. É o que se chama de perda radiativa.

 


Com base nas temperaturas observadas por estes dois órgãos, 21 cidades do Sul do Brasil registraram temperaturas negativas nesta quarta-feira, a maior quantidade de marcas abaixo de zero este ano. O recorde anterior era de cinco cidades durante a passagem de uma forte massa de ar polar entre o fim de abril e o início de maio

O Instituto Nacional de Meteorologia confirmou a ocorrência de geada, em diferentes graus de intensidade, em 11 cidades do Sul do Brasil.

A foto mostra a geada que ocorreu nesta quarta-feira, 8 de junho, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde a temperatura mínima foi de 0,7°C (Inmet)

 

 

 

 

Recorde de frio em Florianópolis

A madrugada de 8 de junho foi a mais fria do ano em Florianópolis, capital de Santa Catarina. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma temperatura mínima de 5,7°C. O recorde anterior era de 9,0°C em 24 de maio.

A temperatura mínima desta terça-feira foi a mais em Florianópolis desde 24 de julho de 2013, quando fez 3,5°C.

 

Frio vai aumentar

A população da Região Sul deve se preparar para dias extremamente frios até a terça-feira da próxima semana, 14 de junho. Temperaturas abaixo de zero vão continuar sendo registradas nos três estados, o que vai permitir a formação de geada em grandes áreas.O fenômeno poderá ocorrer com forte intensidade em diversas áreas da Região Sul causando prejuízos para a agricultura e pecuária.

Pode nevar no fim de semana

 

8 Comments

  1. Posted 8 junho 2016 at 9:33 PM | Permalink

    Neste ano o inverno começou cedo, no topo da serra de SC começou no dia 26 de abril, já são 44 dias de frio contínuo e estamos -3,5°C de anomalia, já tivemos 20 dias com mínimas negativas, 4 dias com sincelo, 29 dias com geada e 3 dias com neve muito fraca e isolada. É o começo de inverno mais frio desde 1988!

  2. Antonio Gomes
    Posted 9 junho 2016 at 9:10 PM | Permalink

    É vamos ver alguma neve nas serras, talvez até Florianópolis pode receber uma dose de neve como em 2013 ,2014.

  3. Posted 10 junho 2016 at 11:46 AM | Permalink

    Muito bom um Inverno normal. Aliás, vem fazendo bastante frio no Hemisfério Norte desde o fim do ano passado.

  4. Antonio Gomes
    Posted 13 junho 2016 at 10:54 PM | Permalink

    Bem pelo que sei hoje em São Paulo teve mínima de 0°, segundo o Site UOL.

  5. antonio Gomes
    Posted 13 junho 2016 at 10:56 PM | Permalink

    Hoje tivemos 0° em São Paulo segundo o Site UOL.

  6. Marcio Pinto
    Posted 14 junho 2016 at 12:29 PM | Permalink

    Interessante a observação feita a respeito do resfriamento do atlântico. O pacífico é muito focado mas o atlantico é tão ou mais importante para definição do nosso clima. O engraçado é que uma “linguá” fria está se formando a nivel do equador no sentido leste – oeste do atlantico. Muito parecido, quase que uma replica do la nina que está crescendo no pacífico.

  7. cristiane maria de s
    Posted 19 junho 2016 at 6:07 PM | Permalink

    o frio tem prejudicado a agricultura dessas regiões? sobretudo a de cebola, alho entre outras?


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: