Quatro razões pelas quais as mudanças climáticas são uma Fake News

Se levarmos em conta o método científico, nenhuma pessoa inteligente pode deixar de ver que o barulho constante de afirmações selvagens e histéricas sobre o clima são insultos à busca da Verdade.

A seguir, quatro razões pelas quais vou apostar em minha vida que a “mudança climática” é o maior embuste científico e político da história humana.

1. Fraude científica desenfreada

Pessoas comuns como eu não entendem muito sobre a ciência do clima, mas podemos identificar traidores a um quilômetro de distância. Sem a ajuda de uma mídia ocidental cúmplice no enterro de múltiplos casos indiscutíveis de fraude científica, a teoria do aquecimento global produzida pelo homem teria sido expelida da água anos atrás.

Um dos exemplos mais descarados de improbidade científica indesculpável é documentado por provas fotográficas reunidas durante uma investigação de três meses por um meteorologista veterano.

Conforme relatado neste   file https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=10&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwiBqaT9tfndAhUETJAKHYF1AVYQFjAJegQIAxAC&url=https%3A%2F%2Fwww.lavoisier.com.au%2Farticles%2Fgreenhouse-science%2Fclimate-change%2Fclimate-corruption-lavoisier.pdf&usg=AOvVaw1JZ36D9G8O_CIVXFQLfTTL  colocou centenas de termômetros oficiais de aquecimento global em locais totalmente inadequados para a coleta de temperaturas naturais:

● Adjacente a motores quentes de veículos estacionados

● Em telhados cobertos de asfalto

● Nas proximidades de saídas de ar quente de unidades de ar condicionado

● Em asfalto nos aeroportos e estacionamentos pavimentados

● Próximo a formações rochosas de retenção de calor e construções de tijolos

O aquecimento global é medido em décimos de grau, de modo que todo empurrão ascendente artificial cria uma imagem enganosa das temperaturas reais.

Para evitar leituras artificialmente elevadas, os padrões oficiais de localização da NOAA exigem que os termômetros sejam colocados a pelo menos 100 pés de qualquer superfície pavimentada ou de concreto, e em uma área aberta e nivelada com cobertura natural do solo.

Esses padrões foram claramente subvertidos, e todos devem exigir saber por quê.

Nenhum defensor da teoria do aquecimento global criada pelo homem que vê as fotografias no PDF ligadas acima – todas as quais foram subestimadas, ou ignoradas, pela mídia ocidental cúmplice – pode falhar em afirmar que a teoria que apoia está sendo mantida  por fraude científica .

2. O duping do Sr. e Sra. John Q. Public

Conforme relatado na Forbes, a declaração abaixo foi feita por um dos maiores batedores de tambor da indústria da crise climática, o falecido Dr. Steven Schneider, principal autor de numerosos relatórios climáticos alarmantes da ONU e ex-professor de climatologia em Stanford:

Precisamos de apoio amplo para capturar a imaginação do público, temos que oferecer cenários assustadores, fazer declarações dramáticas simplificadas e fazer poucas menções a quaisquer dúvidas. Cada um de nós tem que decidir qual é o equilíbrio certo entre ser eficaz e ser honesto.

Em outras palavras, um dos bajuladores mais leais do lobby da crise climática disse a seus colegas que eles não apenas devem esconder evidências que lançam dúvidas sobre a teoria do aquecimento global, mas também elaboram suas pesquisas de maneira desonesta, projetada para criar terror nas mentes do público.

Não é preciso um cientista de foguetes para ver que a desonestidade e a ocultação de visões contrárias não têm lugar na ciência legítima.

3. Um longo rastro de previsões imprecisas

Conforme relatado pela Fox News, um relatório de 2015 publicado na revista Nature Climate Change comparou 117 projeções de modelos de computador durante a década de 1990 com a quantidade de aquecimento real que ocorreu.

Dos 117, apenas três eram mais ou menos precisos, enquanto 114 superestimavam o aquecimento registrado. (Os resultados desequilibrados sugerem que aqueles que fizeram a modelagem podem ter sido culpados de usar uma técnica não científica conhecida como coleta de lixo.) Em média, os modelos de computador previam o dobro do aquecimento do que realmente ocorreu.

As previsões extremamente imprecisas relatadas pela Nature Climate Change não foram as únicas. Em uma previsão aterrorizante de 11 de maio de 1982 anunciada na mídia ocidental, Mostafa Tolba, diretor executivo do Programa Ambiental da ONU (UNEP) decretou que um “ponto de virada” ambiental estava se aproximando: “A Terra enfrenta um desastre ambiental tão definitivo quanto a guerra nuclear” no final deste século, a menos que os governos ajam agora ”.

Essa avaliação arrepiante foi confirmada sete anos depois, em julho de 1989, por outro funcionário sênior da ONU, Noel Brown, que advertiu : “Nações inteiras podem ser varridas da face da Terra pelo aumento do nível do mar se o aquecimento global não for revertido. em 2000. ”

Quando esse ponto de virada veio e foi há 19 anos e nada aconteceu, outros foram inventados, incluindo um pelo cientista da NASA, Dr. James Hanson, que declarou em janeiro de 2009: “O presidente Obama tem apenas quatro anos para salvar a Terra”.

À medida que um frenético ponto de inflexão após o outro cai no esquecimento, um novo é inventado, cada um dos quais é  relatado pela mídia ocidental cúmplice. Isso é o ultimo exemplo:

https://g1.globo.com/natureza/noticia/2018/10/07/novo-relatorio-climatico-do-ipcc-diz-que-mudancas-sem-precedentes-sao-necessarias-para-limitar-aquecimento-a-15oc.ghtml

4. Ocultação intencional de partes inconvenientes da história climática

Ao servir como propagandistas dispostos para a indústria da crise climática, os meios de comunicação ocidentais retratam todos os eventos climáticos severos como os “piores de todos”, como estão fazendo agora com relação à seca no sudoeste dos EUA e às inundações causadas pelo furacão Florence. O que os alarmistas tentam esconder dos eleitores a todo custo são partes inconvenientes da história climática da Terra, como estas:

● Mega-secas antigas eram infinitamente piores do que qualquer coisa que as pessoas que vivem nos tempos modernos viram. Exemplo : Por volta do ano 850 dC, uma mega seca no que hoje é o deserto do Sudoeste durou impressionantes 240 anos, e esse evento climático catastrófico foi precedido por outra mega-seca de meio século anterior que durou 180 anos, sem falar da grande seca de 1929 que depois derrubo as bolsas mundiais.

Sem esse tipo de informação, não é de admirar que tantos americanos inteligentes tenham sido levados a acreditar que a atual seca é a pior de todas.

● O Grande Furacão de 1780 matou 20.000 pessoas no Caribe. Em 8 de setembro de 1900, um furacão Cat-4 destruiu a ilha de Galveston, Texas, matando cerca de 10.000 moradores.

Em 1927, semanas de chuvas pesadas ao longo do rio Mississippi causaram inundações que cobriam 27.000 milhas quadradas, deixando cidades inteiras e terras vizinhas submersas a uma profundidade de 30 pés e deslocando 640.000 pessoas, da Louisiana para Illinois.

A inundação do rio Yangtze, em 1931, um dos eventos mais letais da história da humanidade, foi responsável por um número de mortes estimado em 3,7 milhões.

O furacão Florence e as inundações causadas foram inquestionavelmente devastadoras. Mas o pior de todos? Você decide.

Você não vai ouvir um pio sobre os desastres ecológicos do passado no debate sobre o aquecimento global. A indústria da crise climática esconde partes inconvenientes da história climática da Terra que prejudicam suas reivindicações “piores de todas, furacão monstro, seca sem precedentes, nível dos oceanos subindo como nunca antes, próximo desaparecimento do gelo e neve etc etc… ”.

Resumindo: Listados acima estão quatro razões – eu tenho muito mais – porque eu vou apostar a minha vida que “mudança climática” é uma farsa total.

Anúncios

3 Comments

  1. necocarcara
    Posted 9 outubro 2018 at 12:26 PM | Permalink

    O primeiro link:

    Conforme relatado neste PDF ,

    não está funcionando.

    • necocarcara
      Posted 9 outubro 2018 at 1:32 PM | Permalink

      file:///C:/Users/silvana.alesil/AppData/Local/Temp/climate-corruption-lavoisier.pdf,

      Esse link, não pode ser acessado pela internet.

  2. Posted 9 outubro 2018 at 12:52 PM | Permalink

    uma posição bem lúcida sobre o assunto. pena que a grande mídia brasileira seja muito ruim. apenas publicam informes da ONU sem sequer contestar ou analisar melhor. jornalismo está cada vez pior.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: