El Niño Modoki em breve

Uma vez que a barreira da primavera e a barreira do solstício de verão tenham passado, podemos agora traçar uma previsão confiável da ENSO esperada para o outono / inverno. A partir dos últimos dados processados ​​no início de julho, há uma probabilidade de até 70% de ter um evento El Niño a partir do outono (começando o desenvolvimento a partir de agosto) . Vejamos os parâmetros observados, juntamente com as projeções de alguns importantes centros de pesquisa.  As estações são referidas ao Hemisfério norte.

 

Tendência do conteúdo de calor no Oceano Pacífico equatorial; tem havido um aumento constante de calor desde fevereiro, indicando uma provável chegada do El Niño.

 

 

Em 16 de julho, as anomalias de temperatura positivas começam a aparecer na superfície do mar, tanto perto de Papua-Nova Guiné quanto em frente às costas peruano-equatorianas.

 

Ventos alísios enfraquecendo fortemente em junho no Pacífico; especialmente em 850 hPa eles parecem quase ausentes.

 

Acima as previsões do IRI ( Instituto Internacional de Pesquisa para o Clima e Sociedade ) e do “espaguete” dos vários modelos (última imagem).

 

 

Acima as previsões do ótimo modelo  CFSv2.

 

 

 

Acima o desempenho do índice OLR, que identifica a atividade convectiva e, portanto, a precipitação.
A Zona 4 do El Niño mostra fortes anomalias positivas do índice OLR, indicando uma atividade convectiva muito mais baixa que o normal (a seca ocorrerá nos próximos meses entre a Indonésia e Papua Nova Guiné, florestas tropicais em risco de queimadas). Sinal de que os ventos alísios são muito fracos, anunciando a chegada da fase ENSO positiva. Fase positiva que deve ter seu máximo precisamente entre as zonas 4 e 3.4; o desenvolvimento de um El Niño Modoki fraco / moderado é provável. O desenvolvimento da fase positiva do ENSO deve começar em agosto e o destaque deve ser entre dezembro e janeiro. (veja previsões nos próximos meses)

 

conclusões

Em conclusão, espera-se a chegada de um El Niño Modoki que nos manterá companhia  durante todo o outono inverno (talvez até além).

Características: O El Niño Modoki inibe fortemente o ciclone islandês, favorecendo o desenvolvimento de altas pressões entre a Groenlândia e a Islândia. Ele também tende a mover o vórtice canadense para o oeste , causando maiores flutuações norte-sul (geralmente se move do noroeste para sudeste em direção à costa nordeste dos EUA, com o Modoki é favorecido o setor central dos EUA, até o Texas e Louisiana, para ter descidas árticas frequentes).

 

Aviso: El Niño em si já causa um aumento líquido de extremos climáticos, incentivando a desgravação  da corrente de jato e aumentando a quantidade de vapor na atmosfera (aumento das inundações, granizo e neve). Lembro-me de como, no final de junho de 2016, após o El Niño Strong, a corrente da corrente boreal excedeu a zona equatorial que se fundiu ao jato do sul; evento sem precedentes na história climática moderna. O ENSO positiva com a combinação da baixa atividade solar e da corrente do Golfo mínima poderia ser a faísca que poderia provocar o arrefecimento brutal do clima, inaugurando um período de crise climática. Uma crise climática significa um período marcado por frequentes eventos climáticos excepcionais. Por exemplo, a tremenda inundação no Japão, um evento que ocorre em média a cada 30 anos, pode ser registrada mensalmente. O mesmo se aplica ao granizo devastador, que se tornará a norma mesmo em áreas incomuns, como o Mediterrâneo e o Oriente Médio, talvez com uma ocorrência semanal. As ondas de geada siberiana podem ocorrer intermitentemente durante todo o trimestre de inverno, atrasando a primavera.

Dito isto, estamos esperando para ver como o El Niño se desenvolverá. Se for realmente um evento Modoki, prepare grandes estoques de madeira para o próximo inverno …

Alessio

http://www.attivitasolare.com/el-nino-modoki-in-arrivo/

SAND-RIO

Anúncios

11 Comments

  1. Marcos Vinícius
    Posted 22 julho 2018 at 3:43 PM | Permalink

    Só quero ver os efeitos no Brasil, tomara que as chuvas retornem ao Sudeste, há cidades no estado de São Paulo que não chovem há meses e o frio tão esperado não chegou devido ao monstrengo calor do Brasil Central.

  2. marcos
    Posted 23 julho 2018 at 11:24 PM | Permalink

    Pois é, também desacredito neste propalado AG Antropogênico. Mas estes invernos nestes últimos dois anos estão muito fracos.

  3. Marcos
    Posted 23 julho 2018 at 11:27 PM | Permalink

    Nenhuma onda de frio significativa aqui pelas banda do Paraná.

  4. Marcos
    Posted 23 julho 2018 at 11:28 PM | Permalink

    Nenhuma onda de frio significativa aqui pelas bandas do Paraná. Frio sim, mas abaixo da média.

  5. Inbert
    Posted 24 julho 2018 at 4:57 PM | Permalink

    Pois é, eu imaginava um inverno muito mais frio aqui no PR, o que percebi é que não entendemos o suficiente do clima ainda. O frio só veio até o RS.
    Vamos esperar pra ver o que vai acontecer. Mas esse verão na Europa não foi tão quente como no inicio dos anos 2000.

    Pode ser que leve muito tempo para começar a esfriar, mesmo com a baixa atividade do sol.

  6. marcio pinto
    Posted 24 julho 2018 at 11:29 PM | Permalink

    Não descartaria a entrada de uma onda de frio poderosa até o fim do inverno. Até mesmo no inverno histórico de 1955, antes daquela frente fria monstruosa entrar Brasil adentro, havia um forte veranico.Tal como está acontecendo agora.

  7. Ester
    Posted 25 julho 2018 at 1:22 PM | Permalink

    Aqui, em Porto Alegre/RS, muuuuitos dias de chuva e nublados. Eventualmente dá uns dois dias de sol,céu azul, mas chove praticamente quase todos os dias e o frio, que é normal para esse período,mas nada de massa polar congelante.

  8. Posted 26 julho 2018 at 12:46 AM | Permalink

    Estimado Sand Rio
    No comparto la prevision hecha por el IRI sobre la formacion de un Niño. Este Instituto, siempre le ha pegado en la herradura y no en el clavo.Los cortes verticales del Oceano Pacifico, muestran solamente debiles pulsos de agua caliente sub superficial.En caso de formarse un Niño, seria muy debil y tendria un comportamiento similar a condiciones de Neutralidad en el Pacifico. Saludos.

    • Posted 26 julho 2018 at 11:59 AM | Permalink

      os ventos alísios são muito fracos, anunciando a chegada da fase ENSO positiva. Fase positiva que deve ter seu máximo precisamente entre as zonas 4 e 3.4; o desenvolvimento de um El Niño Modoki fraco / moderado é provável… concordo que só é posivel um Niño fraco ou uma fase neutra.

  9. Antonio Muniz Gomez
    Posted 4 agosto 2018 at 2:06 AM | Permalink

    O clima esta mudando, oscilações por todo lado acho que esses chemtrails fazem parte do problema.

  10. João Inácio
    Posted 4 agosto 2018 at 5:50 PM | Permalink

    Ainda que não tenhamos tido um inverno “congelante”, com muitas temperaturas negativas, na metade leste do RS, onde está Porto Alegre, o fato é que este inverno, um dos mais úmidos em pelo menos dez anos aqui, tem sido de muito frio, não de mínimas muito baixas, mas máximas que não sobem, um clima bem “britânico”, que faz a sensação térmica ser desagradavelmente baixa. Ainda assim, tivemos uma sequência de dias de geada em Porto Alegre, o que não é nada comum, já que o normal do inverno na capital gaúcha são geadas espaçadas.

    Se tivermos um El Nino Modoki fraco, talvez nem sintamos diferença aqui no leste do RS.

    Já um El Nino Modoki moderado/forte é preocupante, pois significa chuva muito abaixo da média, em pleno verão, temperaturas elevadíssimas e episódios raros, porém intensos de clima severo no estado gaúcho como um todo.

    O RS (e o Uruguai) é um dos locais mais afetados pelo El Nino em todo o planeta (junto com a Califórnia, China e Japão). Quando é o El Nino clássico nos transformamos numa Amazônia sulista, quente e muito úmida. Quando é um Modoki forte, torramos em ondas de calor infindáveis e estiagem.

    Complicado…


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: