O ciclo solar 24 atinge o mínimo um ano e meio antes do esperado

INTRODUÇÃO IMPORTANTE: Como já antecipei neste artigo,  https://sandcarioca.wordpress.com/2017/12/15/o-grande-minimo-solar-ja-chegou/

de dezembro de 2017 sobre a possível chegada antecipada do mínimo solar, o minimo entre os ciclos 24 e 25 já chegou há poucos dias, a confirmação nada menos do que do Laboratório de Astronomia Solar PN Lebedev Physical Institute, na Rússia, que diz que temos a realização do mínimo solar do ciclo 24 com mais de um ano e meio antes do previsto.

Mas devo, necessariamente, fazer um esclarecimento. No artigo original do Instituto de Física Russa que me refero, com as características atuais mostradas pelo Sol, a uma possível comparação com o mínimo de Dalton (depois adicionado um correto postlet) ao qual o sol iria, isto é, um encurtamento dos ciclos solares em comparação com o período médio de 11 anos. Mas não é assim. As características do mínimo de Dalton foram uma extensão dos dois ciclos solares com uma duração de 25 anos (1798-1823).

Então, podemos dizer, se é verdade que os próximos ciclos serão mais curtos do que os 11 anos mais clássicos, como já parece para o ciclo 24, neste caso devemos considerar necessariamente a chegada de um mínimo possível tipo Maunder e não de um tipo Dalton , uma vez que isso aconteceu nos ciclos de Maunder, onde é mostrado a partir de estudos científicos que tivemos ciclos de menos de 11 anos.

Também devo acrescentar que não se sabe exatamente como o Sol se comportará nos próximos anos / décadas, a dinâmica solar é muito complexa, mas podemos antecipar que pelo menos um Dalton semelhante possa estar vindo, com base em algumas informações que mostraram a atividade solar fraca magneticamente nos últimos anos. Então, nada dado como certo, mas podemos, como assumido pela ciência russa, nos encontrar nos próximos anos em uma confluência de mais tipos de mínimos como aquele do ciclo centenário ou mesmo de tipo de ciclo de milênios. Se isso é verdade podemos falar  que não seria utópico falar sobre o mínimo solar profundo, como  o Maunder…. ou mais profundo.

Ainda estou estranhando que até agora não tivemos nenhuma mancha a polaridade invertida que é o pré-aviso da mudança da polaridade magnética no Sol e o inicio do ciclo solar 25, coisa que normalmente deveria acontecer  alguns anos antes do fim do ciclo atual 24…. é como se o Sol não tem até agora a força magnética para inverter a polaridade… se não acontece entro alguns meses poderíamos entrar em uma fase de  ‘aborto’ do ciclo 25 com o sol ‘mono-magnético’ ou como se diz cientificamente ‘monopolar’….

https://sandcarioca.wordpress.com/2015/07/20/diminuindo-a-atividade-solar-como-durante-o-maunder-pode-trazer-uma-nova-idade-do-gelo-em-2030/

Boa leitura… e BOM ANO!!!

O ciclo solar 24 atinge o mínimo um ano e meio antes do esperado

Por TW em 20 de dezembro de 2017

De acordo com o Laboratório de Astronomia Solar PN Lebedev Physical Institute na Rússia, o ciclo de atividade solar atingiu praticamente o mínimo um ano e meio antes das previsões. Dado que o máximo solar anterior em 2012 foi um dos mais fracos do século passado, é possível que venha um mínimo substancialmente mais “severo”.

Não houve tempestades e distúrbios do campo magnético observados nos últimos dois meses relacionados à atividade solar, informou o laboratório em um comunicado de imprensa. Assim, o tempo no espaço próximo ao nosso planeta está perdendo cada vez mais sua conexão com o Sol, que com todas as indicações disponíveis para nós já alcançou praticamente o baixo período do próximo ciclo solar mínimo de 11 anos, um um ano e meio antes do esperado.

O resultado de novembro 2017 de 5.7 SSN (um dos principais indicadores do nível de atividade solar) foi o menor dos últimos 8 anos de observações. Para encontrar um valor mais baixo, devemos voltar para agosto de 2009.

Embora a diminuição do número de manchas na superfície solar seja normal para a nossa estrela, neste caso está ocorrendo inesperadamente de antemão, o laboratório escreveu em uma versão anterior. “Até o ponto mínimo no ciclo solar, ainda há cerca de 18 meses, e geralmente nesta fase, a atividade das manchas solares deve ser maior”.

O número médio de manchas solares para o mês de setembro foi de 43, caiu para 13 em outubro e 5 em novembro.

“Isso pode indicar uma chegada mais rápida do próximo mínimo solar do que o esperado”.

Nestes casos, quando os intervalos entre os mínimos da energia solar são reduzidos de 11 a 10 e até 9 anos, são conhecidos na história da astronomia, mas ocorreram há muito tempo – cerca de 200 anos – período que tomou o nome do mínimo de Dalton.

Crédito de imagem em destaque: NASA / SDO (20 de dezembro de 2017)

“Dado que o máximo solar anterior de 2012 foi um dos mais fracos do século passado, poderíamos esperar um mínimo do ciclo 24 substancialmente mais” severo “.

“Se esse fosse o caso, é impossível excluir que a atividade solar agora esteja caindo no fundo de um ciclo de 100 anos ou mesmo de 1000 anos. Embora a questão da presença de tais recessões globais no Sol ainda esteja em discussão, a análise do radiocarbono de rochas e plantas fornece muita evidência da existência de tais mudanças no passado “.

Fonte: The Whatcher

5 Comments

  1. Bruno - DEUS SEJA HONRADO.
    Posted 30 dezembro 2017 at 12:43 AM | Permalink

    Feliz ano novo, você exerce um excelentíssimo trabalho neste site, peço que foque seus estudos nos sumidouros( Sinkholes) que estão surgindo em diversas partes do globo, e as fissuras geológicas que estão surgindo, mudança dos pólos? Algo está para acontecer, não é possível prever quando, mas a Terra está se reestruturando internamente para alguma grande mudança planetária. Abraço, felicidades.

    • Antonio Muniz Gomes
      Posted 2 janeiro 2018 at 5:58 PM | Permalink

      Já é a terceira vez consecutiva que acontece isso. O inverno no hemisfério Norte poderá bater todos recordes, até -50°C.

  2. Leandro Leite
    Posted 1 janeiro 2018 at 3:05 PM | Permalink

    Será que o inverno 2018 será de muito frio no Centro-Sul do Brasil? Por enquanto há belas chances, não há previsão de que o El Niño retorne, pode continuar La Niña ou ficar neutro, estou esperando por isso porque em Primavera do Leste/MT o INMET instalou uma estação automática, quero saber o tanto que faz de frio na cidade oficialmente, na década atual temperaturas de um dígito tem sido mais frequentes, exceto no período 2014-15 devido aquele Super El Niño, tão forte quanto o ocorrido há 20 anos (97/98), mas no ano passado o painel do carro registrou 7 C com bastante neblina, Cuiabá também tem tido mais temperaturas de um dígito nos anos 10, ano passado foi a 9 C, o que não ocorria há 4 anos.

  3. Antonio Muniz Gomes
    Posted 1 janeiro 2018 at 10:09 PM | Permalink

    Mais um complicador para o arrefecimento Global.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: