Há um “buraco” na Antártica tão grande quanto Portugal

Antes que a sólita mídia catastrofista divulga falsidades sobre este fenômeno “NATURAL” e não raro, escrevo eu para divulgar a verdade.

ANTARTIDE abriu um grande buraco, um pedaço de oceano grande como o Portugal. Uma espécie de lago gigantesco no meio do gelo, a centenas de quilômetros da borda da banquisa. Observou-se, entre outras coisas, pelos satélites de Noé e da NASA, tal como há 40 anos, quando tal ‘buraco’  foi descoberto sempre nesse ponto.

Segundo os cientistas, esta é uma polynia, uma área do mar navegável cercada de gelo, também comum no Ártico. A sua formação se deve a um fator em particular: ” A polynia é formada quando um fluxo de água mais quente se eleva do fundo do mar e derrete o gelo marinho” é um fenômeno com um mecanismo conhecido, mesmo para essas dimensões,  que pode parecer considerável. “Mesmo o fato de estar tão distante da fronteira da banquisa com o oceano não parece ser digno de nota. “Ao contrário disso, as polynias perto da costa são formados por ventos catabióticos provenientes do pólo que expulsam o gelo de formação recente da costa.

{}

{}

{}

As imagens dos primeiros satélites de observação da Terra em meados dos anos 70 são os primeiros testemunhos da chamada Weddel Polynya . O termo vem do russo e se refere precisamente a um “buraco” no gelo do mar. Isso, que está no Mar de Weddell, excedeu 80 mil quilômetros quadrados de superfície, mas entre 1974 e 1976 atingiu 250 mil quilômetros quadrados.

Visualizza l'immagine su Twitter

One of our SOCCOM float surfaced inside a rare Antarctic sea ice opening! https://buff.ly/2y8FMuR  Here’s why that’s important

Conforme observado pelo National Snow and Ice Data Center em Boulder, Colorado, nos últimos quinze anos reapareceu, mas sempre com uma extensão limitada . Esses dados, destacados pelo centro de Boulder, nos dizem que não estamos enfrentando algo excepcional, se ele evolua de maneira diferente por causas que não sabemos, teremos que ver, no momento é quase um terço de sua extensão máxima já observada na historia.

Não só não parece ser um fenômeno preocupante, mas também pode ser útil, um pouco como a passagem do Noroeste, para pesquisas: “É bastante comum na Antártica” mesmo longe do limite do gelo marinho não é um fenômeno anormal e não parece estar relacionado às mudanças climáticas. Na verdade, eles são áreas naturais muito importantes para regular o clima e são muito produtivas biologicamente em termos de kril, fitoplâncton e zoo plâncton “.

Visualizza l'immagine su Twitter

Por último, mas não menos importante, as polynias costeiras têm sido usadas há muito tempo para a navegação dos pesquisadores no Antártico.

SAND-RIO

Anúncios

2 Comments

  1. Oriom Sabino
    Posted 15 outubro 2017 at 6:31 AM | Permalink

    Foi em Araranguá (SC – Brasil) Mais ou menos uns 3 Graus da Esc.Richter Assustou. . .

  2. Antonio Muniz Gomes
    Posted 15 outubro 2017 at 9:48 PM | Permalink

    É pode ser até natural , tudo bem mas que é difícil de entender é.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: