Em seis anos, vamos ter muito frio

Se as previsões baseadas em dados científicos forem confirmados, no prazo de seis anos vamos ter muito frio, mas não como resultado da reforma energética e a possibilidade de fraudes nas próximas eleições presidenciais, embora estes cenários podem ser preocupantes, mas porque naqueles anos vamos entrar na fase mais intensa de uma pequena idade do gelo.

De acordo com a pesquisa do Dr. Victor Manuel Velasco Herrera, do Instituto de Geofísica da Universidade Nacional Autônoma do México, por dez anos  a radiação solar caiu abaixo de sua média dos últimos 30 anos, de modo que o planeta  começou a entrar um mini era do gelo, que vai durar entre 60 e 80 anos.

Resultado de imagem para Velasco Herrera modelo "ELSY"

Tem sido documentado que a Terra tem períodos de calor e de frio. A última  idade do gelo começou há cerca de 110.000 anos atrás, o período mais frio foi de 20.000 anos atrás e terminou dramaticamente cerca de 10 mil anos atrás. Nessa altura, a temperatura do planeta aumentou, tivemos o degelo das calotes polares e geleiras, e houve uma transformação de ecossistemas.

Resultado de imagem para Velasco Herrera modelo "ELSY"

“Nos últimos 400.000 anos, houve períodos extremamente frios chamadas eras do gelo, que em média duram 100.000 anos, bem como períodos quentes ou interglaciais que duram mais ou menos 12.000 anos. Em nosso planeta os períodos frios são extremamente longos, enquanto os períodos quente são muito curtos, ” diz  o Dr. Velasco Herrera.

Entre uma era glacial e outra temos as fases interglaciais quentes, como o que estamos agora, mas que poderia estar chegando ao fim, porque o mini era do gelo poderia ser o preâmbulo da próxima idade do gelo que vai durar 100 000 anos.

Estas abordagens do Dr. Velasco Herrera aparentemente contraditórias com aqueles que têm advertido do perigo dos gases estufa, que têm aumentado nas últimas décadas, e que segundo eles estão nos levando para o aquecimento global, com graves impactos sobre nossos ecossistemas. Na verdade, estão emergindo abordagens diferentes nas perspectivas temporais.

“A análise de qualquer fenômeno depende do período de tempo em estudo. Se é curto, é possível que todos os itens não são contemplados. Neste caso, temos investigado não apenas o ciclo interglacial quente conhecido como o Holoceno e que têm 12.000 anos, mas também as eras de gelo; analisamos milhares de anos e entramos numa nova etapa para examinar milhões de anos para compreender mais”, disse o Dr. Velasco Herrera, conforme relatado por um boletim da UNAM.

 

Um novo modelo preditivo

O pesquisador fez suas observações com um modelo físico chamado ELSY, criado por ele, que leva em conta parâmetros mais amplos do espaço-tempo e analisa a mudança climática em uma escala maior, que considera tanto o aquecimento que a refrigeração, ambos cíclicos a uma distância maior de tempo.

Com essa perspectiva, o pesquisador refere-se que muitos eventos climáticos são cíclicos, mas não atípicos. Por exemplo, ele documentou que “em 1447 no Vale do México foi tanta neve que a população morreu. Os dois anos seguintes foram perdidos porque congelou o grão e, portanto, houve uma grande carestia. Em 1450 a neve era tão excessiva que casas desabaram e houve uma epidemia de frio que matou muitas pessoas idosas. Em 1451 em Tula, Hidalgo, a neve caiu até os joelhos e em 1454 tivemos o lago  de Tenochtitlan congelado “. Isso mostra que o grande frio do minimo de Maunder não foi só no hemisfério norte mas também foi sentido muito no hemisfério sul.

Essas mudanças têm alternado com períodos de calor. Entre 1618 e 1619, em  Puebla as culturas e os frutos foram secos; em 1648 foi registrado como o calor tem “queimado” Mérida. “Há também documentação de grandes furacões, tal como ocorreu na Tlapa, Guerrero, em 1537; As crônicas dizem que para os ventos os árvores foram arrancados e isso só acontece numa categoria quatro ou cinco de furacões “, disse o pesquisador.

Resultado de imagem para Velasco Herrera modelo "ELSY"

Esta análise de grandes períodos mostra que estamos realmente no início de uma mini era do gelo, que geralmente não causará sérios problemas para os países que têm invernos com temperaturas abaixo de zero, mas poderia ser preocupante para países como o nosso que  são muito vulneráveis ​​a qualquer queda na temperatura.

Portanto, ele deve continuar com o modelo de análise ELSY para tomar medidas preventivas nos próximos anos para evitar que o futuro nós congele.

SAND-RIO

 

7 Comments

  1. Oriom Sabino
    Posted 15 setembro 2017 at 12:27 AM | Permalink

    Prô desespero dos reptilianos… 😔

  2. Anonimo
    Posted 15 setembro 2017 at 4:35 AM | Permalink

    Mas o resfriamento não era pra 2020? E agora é pra 2023? E depois pra 2030, depois vai ser pra 2050. Cacildes…

  3. Antonio Celso Guirro
    Posted 16 setembro 2017 at 12:04 AM | Permalink

    Caro “Areia do Rio”: parabéns pela tua iniciativa de publicar textos que questionam a visão do Paradigma “Oficial” “Dominante”!
    Tua postura de questionamentos é a verdadeira ciência. “Se queres conhecer algo, questione até o limite o que se sabe”, algo dito por René Descartes em 1600 e pouco. Parabéns por manter esse canal de discussão científica!
    Parabéns, mesmo, pelo teu trabalho!

  4. Antonio Muniz Gomes
    Posted 16 setembro 2017 at 5:59 PM | Permalink

    Muito sóbrio o estudo, bem explanado. Gostei do resultado, o mundo ficando mais seco e mais frio.Temos Agora 6 tormentas e Ciclones, Furacões e tufões pelo mundo. Algo mudou mesmo e muito.

  5. Marcio dos Santos Te
    Posted 16 setembro 2017 at 6:08 PM | Permalink

    Acredito que com essa La nina que não era prevista pra o fim do ano, o resfriamento está começando. Claro, de forma continua teremos invernos cada vez mais frios e longos. Discordo com o autor em acreditar que os países de clima frio não sofrerão. Pelo contrario. Ficarão inabitáveis. Parecerão o polo norte.

  6. Duanny D. P. Neves
    Posted 17 setembro 2017 at 4:35 PM | Permalink

    Pensava que a grande quantidade de furacões e tempestades desse ano fosse resultado de um maior aquecimento das águas do oceano. Alguém poderia me explicar?


One Trackback

  1. By offer track rental on 15 setembro 2017 at 1:15 AM

    Home depot Truck Rental

    Em seis anos, vamos ter muito frio

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: