As tartarugas e a realidade

Depois de décadas de pesquisa durante o qual foram gastos bilhões no financiamento da investigação, há menos evidência científica do que nunca da existência de uma ligação entre os níveis de dióxido de carbono no ar e temperaturas médias globais, ou o aumento catastrófico prometido dos níveis do mar 


Escrito por Dr. Klaus LE Kaiser (Ontário, Canadá)

Em muitas áreas locais moram muitas espécies de tartarugas, como a tartaruga pintada da lagoa, a tartaruga do mapa, a tartaruga jacaré, a tartaruga Moss e outras. Durante um dia ensolarado de primavera, você pode ver muitas destas tartarugas sair da água e ficar em uma rocha em uma tentativa de capturar um raio quente de sol antes de mergulhar de volta para a água fria, que é, provavelmente, a uma temperatura 7 graus centígrados.

Nós já estamos no mês de junho e seja a temperatura da água que do ar são muito menores do que aquele profetizados pelos seguidores fieis do “aquecimento global = planeta que frita como uma batata” e que foram proclamados por tantos alarmistas climatológicos. Nessas condições são esperados para chegar dentro de um curto período de tempo, antes que a água congele novamente, com uma profundidade de algumas dezenas de centímetros, por muitos meses. Talvez, esses alarmistas podem ajudar a distinguir a “poluição de carbono” da poluição real – e os fatos de ficção.

A mentira de ” Carbon poluição “ 

O Presidente Trump disse pão para pão, vinho ao vinho – com toda a razão!

Depois de décadas de pesquisa durante o qual foram gastos bilhões no financiamento das investigações inúteis mas ótimos para os bolsos dos pseudos cientistas, há menos evidência científica do que nunca da existência de uma ligação entre os níveis de dióxido de carbono no ar e temperaturas médias globais, ou do aumento catastrófico dos níveis do mar. No entanto  existem muitas provas que mostram que o CO2 é um agente de arrefecimento atmosférico e como alguns  níveis dos mares são, na verdade, indo para baixo .

O assim chamado problema de ” poluição de carbono “foi e é nada mais que uma cortina de fumaça gigantesca para a afirmação de um governo mundial sob o controle burocrático das Nações Unidas com os personagens de orientação socialista-marxista como G. Soros para puxar os fios – principalmente para proteger os seus interesses. Queria que o leitor desse pobre site poderia fazer uma pesquisa independente nos interesses claros e obscuros desse senhor e verificar como ele puxa os fios da mídia mundial, da finança, da economia, da politica com o auxilio de pseudo ONG,  e do turismo para a rica elite  em locais paradisíacos e ilhas que não querem afundar abaixo do mar….

O Presidente Trump quis ver os documentos e – se você tem um pouco de paciência – em breve o número dos “players de carbono” que deixam este jogo de alto risco vai ser incrível. Alguns “ratos” sem os financiamentos $$$$  já estão abandonando o navio que afunda do apocalipse do calor. Por exemplo, a Inglaterra parou o financiamento para usinas de energia eólica, a Alemanha está usando mais carvão (importado) do que nunca, os países de Visegrad (Polónia, República Checa, Eslováquia, Hungria) estão se rebelando dos mandatos da UE  sobre a “proteção climática” e assim por diante. Por que eles deveriam embarcar-se na missão da União Europeia para “descarbonizar”?

Mesmo a Alemanha, provavelmente o líder mais ardente da contradição de descarbonização está queimando grandes quantidades de carvão para produção de eletricidade. A única diferença é que agora o carvão é importado do exterior, principalmente dos Estados Unidos. Os mineiros de carvão dos EUA vai ficar muito contentes de ouvir isso, o ex mineradores alemães muito menos.

É claro que ainda são resistentes 

Sim, ainda há alguma resistência teimosa da velha ordem da religião climatológica da poluição de carbono. Entre eles, a chanceler alemã, que prometeu continuar sua marcha na estrada de “privação de energia confiável.” Nós apenas precisamos de construir mais parques eólicos e assim por diante e tudo vai ficar bem. Não se esqueça a proposta ‘verde’ dos triciclos para transporte de mercadorias à tração humana.

Não é de estranhar que os seus projetos terão de chegar a um acordo com a oposição crescente, mesmo entre as fileiras de seu próprio partido que estão exigindo um fim à “chantagem moral” por parte da pesquisa climática e um “adeus a metas unilaterais de CO2 da Alemanha. ”

Outros membros importantes desta liga de resistente são países como a China, que está construindo novas usinas de carvão a velocidade impressionante. Eles afirmam que eles precisam deles para ficar a par do mundo ocidental por mais uma década ou duas. Então, para fazer isso, eles exigem uma entrada gratuita e uma moratória nos acordos climáticos…. depois vamos ver o que acontece com o resfriamento global que está chegando…

Em vez disso outros réus pensaram que poderiam pegar uma parte dos US $ 100 bilhões que os estúpidos  americanos gostariam de chover em seus poderes – é claro, sob a orientação e supervisão das Nações Unidas. Dê uma olhada em imagens de satélite das ilhas ‘sumidouros’ nos oceanos. Dê uma olhada em dados produzidos por seus governos sobre a população e seu crescimento, e  uma olhada para o seu lugar à moda em este lugar de férias exóticas. Por exemplo, a nação insular do Pacífico de Vanuatu, que os pseudo-cientistas do IPCC afirmaram que ia desparecer sob o oceano, em 1999  tinha uma população de cerca de 193.000, cerca de 226.000 em 2010, e atualmente tem 275.000 habitantes… os habitantes originais em grande maioria sob a ameaça do desaparecimento da ilha venderam a terra a preço de banana e quem comprou construiu resort para multimilionários… Da mesma forma, no Oceano Índico: o povo das Maldivas aumentou no mesmo período de 269.000 (em 2002) para 305.000 (em 2010) para os atuais 400.000… e sempre ‘alguém’ construindo resort de fabula.

Mesmo se eu quisesse, para vocês seria muito difícil encontrar qualquer evidência do cenário muito proclamado das “ilhas afundando”, segundo a qual os seus habitantes estão fugindo para salvar suas vidas, pelo aumento dos níveis dos mares. Mas um pouco de bilhões de dólares seria a coisa certa a fazer para perpetuar histórias calamitosas. Pelo menos até que todos eles percebem que foram enganados suficiente.

Nesse ponto, até mesmo os ilhéus abandonarão  a pressa o navio climatológico e perceberam que agora o vento está definido para explodir em uma direção diferente. Como qualquer bom marinheiro, as velas devem ser ajustadas para a direção do vento que muda. E isso parece estar acontecendo muito mais rápido do que muitos pensavam que era possível.

O ar quente está dando lugar ao realismo Climatológica 

A decisão  tomada pelo presidente Trump para retirar os EU do acordo climatológico  de Paris   (não é um ‘Tratado’) tem proporcionado uma grande explosão de realidade para toda a questão. A retórica do ar quente dos modelos climáticos dos últimos anos  agora tem que chegar a um acordo com um sopro da realidade científica. E isso pode ser resumido em uma escala global, nos poucos pontos seguintes:

. O consumo de combustíveis fósseis (carvão, petróleo, gás) estão aumentando em todo o mundo. E temos que investir dinheiro nas pesquisas sobre os reatores a fusão nuclear.

. Mesmo a mais confiável  energia “renovável”, ou seja, as usinas hidrelétricas, é capaz de atender apenas cerca de 5% das necessidades de eletricidade atuais.

. Os parques eólicos e usinas de energia solar são altamente intermitente e não confiáveis; (exemplos de fracassos recentes : El Hierro , Ilhas Canárias, Austrália do Sul , ilha de Pellworm, Alemanha).

. Os sistemas de armazenamento de energia (tais como baterias e aquíferos de grande altitude) só podem acumular energia suficiente para retardar os picos curtos na demanda; (Exemplo: o sistema de reserva de Robert Moses , Lewiston, New Jersey).

. As nações industriais com elevado consumo de energia per capita têm baixos níveis de aumento natural da população; (Exemplos: Suécia, Alemanha, Canadá e Japão).

. Países com baixo consumo de energia per capita têm altas taxas de crescimento populacional natural; (Exemplos: Nigéria, Etiópia, Índia e México).

. O dióxido de carbono (o chamado “poluição de carbono”) não tem qualquer efeito sobre o crescimento do nível do mar e das temperaturas globais, ou seja, o clima.

. O dióxido de carbono não é um poluente, mas um componente vital da atmosfera. Sem ela, a vida na Terra deixaria de existir.

. O planeta Terra com toda a probabilidade será confrontado com algumas décadas de resfriamento global causado pela redução da atividade das manchas solares.

. Ao presidente Trump deve ser feita  felicitações  por ter puxado para fora os Estados Unidos da armadilha climatológica de Paris.

. A avalanche “anti Paris” é apenas no começo.


Dott Klaus Kaiser. – Ontário (Canadá) – é o autor de “mitos convenientes, a revolução verde – percepções, política e fatos” – http://www.conventientmyths.com

Anúncios

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: