Não há nenhuma evidência … apenas o CO2 é a causa …

Eu tenho a impressão de que os danos causados por desinformação pelos meios de comunicação (televisão, em particular), são muito maiores do que qualquer um poderia imaginar.

Temos alguns que argumentam que:

Não há nenhuma evidência científica para provar os mínimos  solares como o Mínimo de Maunder .
Estão errados. Há centenas de testemunhos escritos de cronistas e escritores da época, descrevendo as dificuldades das pessoas para obter alimentos pelo frio. Existem dados científicos registrados pelos cientistas de que … com seus telescópios, ainda que “primordial”, mas já poderosos o suficiente para observar o Sol e as manchas solares, que falaram claramente de um número muito limitado de manchas na superfície do Sol. Mas a atividade solar não é monitorada apenas diretamente. Em retrospectiva, em um momento que é muito mais recente, os estudos foram realizados em sedimentos e anéis de árvores, para analisar e reconstruir a evolução da atividade solar nos séculos passados. Eles são muito fiáveis, são estudos que têm por base a percentagem de certos isótopos bem definidos de elementos químicos, que aumentam com o aumento da atividade solar … e diminuir com a diminuição da atividade solar. E esses elementos são “fixos” nos sedimentos e na madeira de árvores. O resultado é que hoje é possível reconstruir com suficientemente precisão o que também é acontecido há milhares de anos. Argumentar que super-mínimos não existem é o mais errado que pode ser. A única maneira de fazer tal afirmação  é não saber, no mínimo, o que eles estão falando.
Naquela época era impossível observar o sol !!! Ele argumentam que o CO2 é a causa.
Errado.
O nascimento do telescópio refrator pode ser rastreado até a Galileo e ele mostrou a primeira aplicação em  Veneza em 1609. ( wikipedia )
O mínimo de Maunder é o nome dado para o período desde cerca de 1645 a 1715 , que foi caracterizado por uma atividade solar muito pobre, isto é, uma situação em que o número de manchas solares tornou-se extremamente baixa. (Wikipedia )
Mais uma vez … se vocês não tem a menor ideia do que vocês estão falando, a melhor coisa a fazer é calar a boca … e perguntar e se informar.
O CO2 como causa da mudança climática é ” uma solução muito moderna” … e errada. Existem, de fato, as evidências científicas que  ligam a proporção de gás para  o aumento da temperatura média da terra. Enquanto o oposto é verdadeiro. Nas páginas desse blog há dezenas de artigos que explicam a razão … e há vários itens da lista de trabalhos revisados por pares, que demonstram que é errado colocar só ao aumento de CO2 a causa do aumento da temperatura.
Os  invernos mudaram?
As estações do ano em nosso planeta dependem essencialmente da posição do planeta em sua órbita. E a órbita do planeta está mudando constantemente. Mas, além disso, dependem da quantidade de energia que o planeta é capaz de armazenar durante o ano. Esta energia depende, é claro, tanto das condições atmosféricas  (atmosfera clara e livre de nuvens permite uma maior insolação, e a quantidade de nuvens é inversamente proporcional a atividade solar… desde que a formação das nuvens é também devido aos raios cósmicos), (Podem encontrar mais informações sobre isso no blog), mas também pela energia emitida pelo sol. Essa energia não é constante, mas varia continuamente ….
A TSI (total Solar Irradiance) varia, em média, muito pouco … mas é só a media que muda tão pouco. Na realidade, a radiação solar proveniente da nossa estrela, é formada por um largo espectro de frequências. E cada um destes muda, durante o ciclo de onze anos de manchas solares, a partir de um mínimo de 1% e um máximo que pode atingir, em alguns casos, até mesmo o 20%!  E, “infelizmente ou felizmente” “depende dos ponto de vista”, as maiores variações se encontram para as frequências mais energéticas. Portanto, mesmo se o TSI varia pouco … a variação da quantidade de energia que recebe o nosso planeta é notável. Além disso, o TSI é considerada constante, embora na realidade não é, ele nos modelos climáticos é um valor teórico calculado fora do nosso planeta para uma órbita circular … quando na verdade a órbita do nosso planeta é ELÍTICA. Já escrevi isso em alguns artigos que podem ver aqui: https://sandcarioca.wordpress.com/2015/12/07/influencia-solar-no-clima-da-terra/ .Mas, além disso, os invernos são dependentes da temperatura da área do Ártico e isso depende, como tem sido amplamente demonstrado cientificamente, pelas condições de pressão e temperatura de alguns pontos específicos do nosso planeta … E estes dados são “monitorados” e indexados nos índices AMO e DOP. Estas proporções, como foi explicado cientificamente, seguem os ciclos de cerca de 60 anos … durante o qual nos temos 30 anos de “quente” e 30 anos de “frio”.Por isso (uma vez que os dois índices não estão alinhados, mas diferem por alguns anos) por 30-40 anos o Ártico aquece … e para outros 30 – 40 anos esfria. Nós, agora, estamos começando um período de 30-40 anos de resfriamento do Ártico.
Finalmente, o clima do nosso planeta é cíclico … e muda continuamente. Achar que é sempre frio no inverno e sempre quente no verão, significa essencialmente não saber nada da história do nosso planeta … seja climática, geológica e  sociopolítica. Temos milhares de testemunhos escritos, verificados e comprovados das diferentes condições meteorológicos que determinou o destino de guerras, (podem ler os artigos no blog: Clima na historia, desde o 4500 ante de Cristo até o ano 2010) empresas e impérios inteiros. O Império Romano é o exemplo mais marcante. No auge da sua expansão tinham começado a cultivar até mesmo a uva nas Ilhas Britânicas. Alguns séculos mais tarde, estavam lutando com tal arrefecimento que o trigo não amadurecia mesmo na zona rural em torno de Roma. E este é integralmente descrito e demonstrado também no blog. Enfim temos os ciclos NATURAIS do Niño e Niña no Pacifico que nada tem a ver com o CO2. Sempre tivemos esses ciclos e sempre teremos, e eles influenciam a temperatura e o clima em quase todo o planeta. Então, o fato de que os invernos estão mudando, é absolutamente normal. E vocês sabem, eles estão seguindo um ciclo já vivido há muito tempo …
A influência magnética do Sol não muda nada, porque o calor só vem através de reações nucleares .
Além de que esta afirmação não tem sentido “prático” … uma vez que todas as reações que ocorrem no Sol são nucleares.
Mas oh bem … vamos explicar um pouquinho para os ‘idiotas’ de plantão….
O sol emite radiação eletromagnética em um amplo espetro de frequências. Além disso, ele emite uma série de partículas mais ou menos enérgicas, com velocidade e densidade que mudam continuamente, e que chamamos  vento solar.
O nosso planeta recebe energia essencialmente de 2 maneiras … A primeira é “direta”, pela radiação eletromagnética (Veja também acima TSI), a segunda é “indireta”. O planeta, de fato, é protegido da radiação prejudicial, pelo seu próprio campo geomagnético, que se expande no espaço por milhares de quilômetros. Este campo é “imerso” completamente no vento solar … que por sinal, produz o campo magnético solar. A interação entre este último e o campo magnético da Terra, envolve uma certa transferência de energia para o nosso planeta.  Transferência  que se traduz, essencialmente, em uma menor perda de energia por parte do próprio planeta. Isto é porque o planeta Terra, embora provido de atmosfera e um núcleo quente, ele está sempre imerso num ambiente, o espaço, em que a temperatura é muito baixa (na ausência de luz é de cerca de -270 °). Por isso a Terra dá continuamente energia de volta para o espaço (por razões precisas da Física Termodinâmica). Graças ao campo magnético e da interação deste com o vento solar, há uma redução de energia “dissipada” do planeta. Isto determina a média térmica global de cerca de 14 ° C para o chão. A mudança na intensidade do vento solar envolve uma diferença de “proteção térmica” fornecida pelo campo magnético da Terra … e o resultado é que o planeta periodicamente (também por outras razões relacionadas órbita planetária) é arrefecida até atingir uma temperatura média de apenas 6 ° C … ou, como ocorreu há 65 milhões de anos atrás, é aquecido a uma temperatura média de mais de 30 ° C.
Tudo então é sempre únicamente e exclusivamente ditado pelo Sol e a órbita do nosso planeta.
Estes argumentos são extremamente complexos … difícil de explicar em termos leigos, e especialmente para aqueles que não têm muito conhecimento. São anos que tento explicar em maneira clara e simples a interação do nosso Sol com o clima da Terra, mas não sempre consigo… desculpem, mas será ótimo ler todos os artigos desde o incio do blog onde explico as bases da física solar.
Durante anos tentei lentamente para deixar claro aos meus leitores qual é a importância do Sol e a dinâmica orbital … Em meus artigos  tentei simplificar os conceitos e não mergulhar em dados técnicos e científicos …
Infelizmente na TV as simplificações são tantas e é para razões  “sócio-político-econômico” que todas as variações climáticas têm sido atribuídas à mudança na concentração de CO2 no ar. Variações causadas, dizem eles, pelas emissões antropogênicas. Mas não há nenhuma evidência científica de que isso é verdade.
A única coisa certa, cientificamente provada, é que é ele  o nosso SOL que aquece o nosso planeta e determina as condições climáticas. Explicar em detalhe o como e o porquê das mudanças é um pouco mais complexo … mas a cada dia que passa … as descobertas  aumentam e a segurança desta declaração é cada vez mais sólida.
Espero ter esclarecido se não todas as dúvidas … pelo menos algumas.
Bom fim de semana a todos
SAND-RIO

One Comment

  1. mar
    Posted 26 agosto 2016 at 3:49 PM | Permalink

    Quando eu crescer quero ser como vc, tu és foda…


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: