O atual ciclo solar 24 continua a ser o mais ‘fraco durante quase 200 anos … O PLANETA à mercê do sol!

O SOL, no mês de março 2016
por Frank Bosse e Fritz Vahrenholt

Nossa mãe  estrela foi mais uma vez menos ativa do que o normal no decurso do mês de março. O número de manchas observadas (SSN) é  resultado em 54,9, o que é cerca de 2/3 mais baixo do que o valor médio (82.5) para o mês de Março. Veja como está o atual ciclo solar :

 

bb1
Figura 1: O ciclo atual 24 (SolarCycle: SC) desde seu inicio, em dezembro de 2008, até o mês de março de 2016 (88 º mês) vermelho. Azul, a média dos ciclos anteriores 1-23. linha preta de 76 meses semelhantes ao ciclo de número 5, que começou em maio de 1789 e foi concluída em dezembro 1810.

Os números de manchas solares, até este ponto do ciclo, são mostrados no gráfico com a anomalia da média para cada ciclo. Isto mostra que o ciclo atual é um dos mais fracos:

 

BB2
Figura 2: O número de manchas solares acumulados por ciclo, indicada como uma anomalia em relação ao mês média, 88 de cada ciclo respectivo desde 1755.

A partir dos gráficos podemos ver como o ciclo  24 tive  três ciclos (SC 5, 6 e 7) menos ativos, para este período chamado de “Dalton Minimum”, que ocorreu no período 1790-1830. A probabilidade é muito alta que o ciclo solar 7 é superado pelos pontos mais baixos pelo ciclo 24 já nas próximas semanas. (O período anterior do ciclo 1 que contem o minimo de Maunder não é considerado nos registros por que antes do ciclo 1 as observações eram ainda em fase inicial desde Galileu e o ciclo 1 é o ultimo do minimo de Maunder).

Até agora, a tendência atual da nossa estrela, que, como você já sabe, nos últimos anos tem tido e continua a ter uma ”  atividade solar abaixo da média, em relação a, pelo menos, do século passado. Mas o que poderia trazer esta baixa atividade solar nos próximos anos / décadas, quando o SOL supostamente, de acordo com muitos cientistas, terá uma atividade magnetica ainda menor?

A segunda metade do século 20 foi classificada pelos físicos solares como um período de máxima atividade solar, um período chamado “Máximo Solar Big.”
A partir disso, pode-se deduzir que a causa principal não foi o CO² que fez  aumentar a temperatura, mas seria logico e faria mais sentido que tem crescido por causa da alta atividade solar .

O CO² não pode ter causado o aquecimento dos oceanos, que por sua vez poderia ter causado grandes eventos El Nino, com maior energia presente nos oceanos em 1998 e 2015. Devemos também dizer que um evento El Nino aquece temporariamente a atmosfera, como vimos nos últimos meses, e, em seguida, volta para baixo como podemos ver nos próximos meses, ainda mais amplificado com pelo contrário evento, chamado La Nina. Esta é a prova de que CO² tem pouco a ver com o aumento da temperatura global.

Mas tudo isso, podemos ver a partir dos dados de satélite UAH, que nos dizem que não havia qualquer aquecimento nos últimos 20 anos.

 

UAH_before_El_nino

http://s19.postimg.org/f3dhdpmlv/UAH_before_El_nino.png

O gráfico da UAH temperatura global antes de El Nino de 1998 … como você pode ver, sem aquecimento

 

UAH_after_El_nino

http://s19.postimg.org/nmwvbguyb/UAH_after_El_nino.png

Mas aqui temos a UAH sempre gráfico atmosférico  de temperatura entre o El Nino de 1998 e o início do El Nino de 2015 … neste caso NO AQUECIMENTO  (mas sim um ligeiro arrefecimento). Sem El Niño que é um evento natural e nada tem a ver com o CO2, NÃO EXISTE AQUECIMENTO

 

Se realmente os ciclos solares 24-26 e 24-30  são planejadas para ser muitos mais fracos, como mais físicos solares afirmam, (Eu falo em PRÓXIMO HIBERNAÇÃO DO SOL) esperam um forte impacto sobre a temperatura da superfície do nosso planeta, data por ciclos solares  muito baixos (OU INEXISTENTES), e em consideração que os oceanos são grandes acumuladores de calor quando temos uma atividade solar muito forte, mas igualmente grandes dissipadores de calor quando os ciclos tem   baixa atividade solar, teremos o arrefecimento global se…. se a NASA/NOAA não continua falsificando os dados históricos da temperatura da Terra e param de indicar a temperatura de todo o planeta só considerando algumas  centrais meteo colocadas nas cidades onde existe a ilha de calor urbana..

Finalmente, é possível que nos próximos anos teremos uma sequência de factores muito perigosos, com o Sol chamado “frio”, oceanos que dissipam uma grande quantidade de calor e as temperaturas ao mesmo tempo  irão resultar numa diminuição acentuada em todo o mundo e muito mais localmente.

SAND-RIO

One Comment

  1. Antonio Gomes
    Posted 2 maio 2016 at 11:57 PM | Permalink

    Realmente vamos ver o que vai acontecer com a La Nina em ação, acho até que teremos recordes de frio no Sul e Sudeste e regiões vizinhas.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: