Batimento cardíaco irregular do Sol impulsionado pela dupla dínamo

Queria agradecer os mais de 800 seguidores (810) que ontem (13/7) estavam conectados com esse pobre blog. Estamos com uma media por dia de mais de 500 visualizações.  Nada mal para um site que não fala de fofocas, mulheres peladas, ou como ter grana fácil…. mas que tenta sempre uma divulgação mais ou menos cientifica sobre o nosso astro rei e o clima terrestre. Obrigado.

Batimento cardíaco irregular do Sol impulsionado pela dupla dínamo

Montagem de imagens de atividade solar entre agosto 1991 e setembro de 2001 tomadas pelo Yohkoh macio X-ray telecope, mostrando variação na atividade solar durante um ciclo de manchas solares. Crédito: Yohkoh / ISAS / Lockheed-Martin / NAOJ / L. Tóquio / NASA

Um novo modelo de ciclo solar do Sol está produzindo previsões precisas sem precedentes de irregularidades dentro de 11 anos “o batimento cardíaco do Sol”. O modelo baseia-se em efeitos da dínamo em duas camadas do Sol, um perto da superfície e um profundo dentro de sua zona de convecção. As previsões do modelo sugerem que a atividade solar vai cair em 60 por cento durante os anos 2030 a condições vistos pela última vez durante o ‘mini era do gelo “, que começou em 1645. Os resultados serão apresentados hoje pela Prof Valentina Zharkova no Encontro Nacional de Astronomia em Llandudno.

É 172 anos desde que um cientista viu pela primeira vez que a atividade do Sol varia ao longo de um ciclo que dura cerca de 10 a 12 anos. Mas cada ciclo é um pouco diferente e nenhum dos modelos de causas até à data têm totalmente explicado as flutuações. Muitos físicos solares tem colocado a causa do para baixo para um dínamo causada pela convecção do fluido nas profundezas do Sol. Agora, Zharkova e seus colegas descobriram que a adição de um segundo dínamo, perto da superfície, completa o quadro com uma precisão surpreendente.

“Nós encontramos componentes da onda magnética que aparecem em pares, originários de duas camadas diferentes no interior do Sol. Ambos têm uma frequência de aproximadamente 11 anos, embora esta frequência é um pouco diferente, e eles são compensados ​​no tempo. Ao longo do ciclo, as ondas oscilam entre os hemisférios norte e sul do Sol. Combinando ambas as ondas juntos e comparando com os dados reais para o ciclo solar atual, descobrimos que as nossas previsões mostram uma precisão de 97% “, disse Zharkova.

Zharkova e seus colegas derivaram seu modelo usando uma técnica chamada “análise de componentes principais” das observações do campo magnético da Wilcox Observatório Solar na Califórnia. Eles examinaram três ciclos solares-estima da atividade do campo magnético, que abrange o período 1976-2008. Além disso, eles compararam as suas previsões para número de manchas solares médios, outro forte indicador de . Todas as previsões e observações foram estreitamente alinhados.

Smorzamento

Lote fundo : o componente de síntese de dois computadores (curva contínua) e o componente decadente ( curvas a tracejado ) para dados passados (ciclos 21-23) e previstos (ciclos 24-26) . O comprimento do ciclo ( cerca de 11 anos ) Eles são indicados com cores diferentes .

Olhando para o futuro para os próximos ciclos solares, o modelo prevê que o par de ondas tornam-se cada vez mais compensado durante o Ciclo 25, com picos em 2022. Durante o ciclo 26, que abrange a década 2030-2040, as duas ondas se tornará exatamente fora de sincronia e isto causará uma redução significativa na atividade solar.

Batimento cardíaco irregular do Sol impulsionado pela dupla dínamo
Comparação de três imagens em quatro anos ilustra uma separação de como o nível de atividade solar aumentou de perto mínimo próximo ao máximo em 11 anos do Sol ciclo solar. Crédito: SOHO / ESA / NASA

“No 26, as duas ondas são exatamente espelho uns dos outros – com pico ao mesmo tempo, mas nos hemisférios opostos do S0l. A sua interação será disruptiva, ou eles  quase se anulam mutuamente Prevemos que isso vai levar a as propriedades de um “mínimo de Maunder”, disse Zharkova. “Efetivamente, quando as ondas são aproximadamente em fase, eles podem mostrar a interação forte, ou ressonância, e temos forte atividade solar. Quando eles estão fora de fase, temos mínimos solares. Quando há separação de fases cheio, temos as condições visto pela última vez durante o mínimo de Maunder, 370 anos atrás. ”

Em outras palavras, devemos esperar a contínua deterioração nas condições climáticas globais entre agora e 2022, no auge do ciclo 25.

Isso é apenas sete anos de distância!

Em seguida, ele vai piorar.

Aí estaremos orando pelo aquecimento global.

Read more at: http://phys.org/news/2015-07-irregular-heartbeat-sun-driven-dynamo.html#jCp

11 Comments

  1. Luís Alberto Guedes
    Posted 13 julho 2015 at 3:57 PM | Permalink

    O português do escrito é intragável e não se justifica enviarem qualquer coisa porque não é percebida.
    Julgo haver ignorância linguística que se propaga ao restante.

    • Posted 13 julho 2015 at 4:41 PM | Permalink

      Considerando que sou italiano e não brasileiro…… acho que se vc escrevesse em italiano seria mais penoso do meu portuguese.

      • Antonio Gomes
        Posted 13 julho 2015 at 9:31 PM | Permalink

        Caro Sand acompanho de perto suas matérias e não tenho nada a reclamar de seu português, se eu falasse assim o inglês estaria morto de feliz. E perdoe o Sr. Luís Alberto Guedes que com esse nome deve ser algum portuga. Sobre a matéria fiquei em duvida? Ele apenas mostrou fotos de 1996, 98, e 2000. Então já são decorridos 15 anos, e o mínimo já esta acontecendo? É isso?

        • Posted 13 julho 2015 at 10:07 PM | Permalink

          As 3 fotos mostram a fase crescente do minimo até o ´maximo do ciclo solar 23. Depois tivemos a fase decrescente do ciclo 23 até chegar a longa fase de minimo entre os ciclos 23 e 24. O ciclo solar 24, sendo um ciclo fraco será mais longo de 11 anos. Muito provável que a fase decrescente do ciclo 24 ainda será de mais 2 anos. O minimo entre os ciclos 24 e 25 será ainda mais longo do minimo anterior. Teremos muitos anos sem manchas solares(acho mais de 2-3 anos e pode ser mais) assim como tivemos quase 2 anos sem manchas no minimo entre os ciclos 23 e 24.
          Mais o ciclo é fraco mais dura no tempo.
          Valentina Zharkova é uma Professora em Matemática na Universidade Northumbria. Ela tem uma Licenciatura / Mestrado em Matemática Aplicada e Astronomia, um Ph.D. em Astrofísica, certificada em gerenciamento de projetos.
          http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3156594/Is-mini-ICE-AGE-way-Scientists-warn-sun-sleep-2020-cause-temperatures-plummet.html

          • Paulo
            Posted 14 julho 2015 at 11:07 AM | Permalink

            Caro Sand
            Parabéns pelas suas postagens e não ligue para comentários infelizes e intempestivos sobre a ortografia… Considerando que você é italiano acho seu português plenamente satisfatório para que possamos tomar conhecimento do que você divulga aqui. Abraços!

  2. Antonio Gomes
    Posted 14 julho 2015 at 11:48 PM | Permalink

    Obrigado pela explicação, fiquei satisfeito com a resposta.

  3. Sérgio
    Posted 15 julho 2015 at 3:53 AM | Permalink

    Obrigado por mais uma excelente e elucidativa publicação, Sand!

    Quanto ao português, não se incomode com as críticas de pessoas como o sr. Luís Alberto Guedes, pois pessoas assim não te acompanham como todos nós o acompanhamos ao londo destes anos.

    O seu português, Sand, é compreensível para nós e eu tenho notado que o mesmo vem melhorando ao longo do tempo. Continue assim e parabéns pelo esforço!

    Continue nos iluminando com suas publicações neste seu formidável blog.

    Um abraço e muitíssimo obrigado!!

  4. Sérgio
    Posted 15 julho 2015 at 3:55 AM | Permalink

    Obrigado por mais uma excelente e elucidativa publicação, Sand!

    Quanto ao português, não se incomode com as críticas de pessoas como o sr. Luís Alberto Guedes, pois pessoas assim não te acompanham como todos nós o acompanhamos ao longo destes anos.

    O seu português, Sand, é compreensível para nós e eu tenho notado que o mesmo vem melhorando ao transcorrer do tempo. Continue assim e parabéns pelo esforço!

    Continue nos iluminando com suas publicações neste seu formidável blog.

    Um abraço e muitíssimo obrigado!!

  5. leonor fernandes
    Posted 30 julho 2015 at 7:44 PM | Permalink

    Eu tenho andado um pouco calada, com outras coisas, mas guardo todos estes posts, que adoro. O Sand, realmente, não tem que se preocupar com o seu português, a qualidade do que publica suplanta qualquer erro, e não deixamos de nos entender. Depois, quanto ao português, nós já nem sabemos onde ele anda. Eu aceito o português do Brasil, de Angola, etc, mas continuou a escrever no português antes do tal (des)acordo. O que é importante é nos entendermos

    Quanto a este post concreto, e também a outros que não comentei, há uma observação que alguns podem considerar desajustada, mas não é, mas eu cá estou para quem quiser bater. Há uns anos fiz um estudo sobre a profecia maia, houve na altura algumas coisas que não entendi, mas agora fez-se luz. Não sou seguidora de profecias, muito menos aquelas que acabam com o mundo todos os dias. Vejo as coisas o mais racionalmente possível. Mas acontece que a profecia maia está correcta, o problema foi que uns quiseram entendê-la na “beleza espiritual”, outros quiseram entendê-la como “conto religioso”, e ela não é nem uma coisa nem outra. O que os antigos Maias disseram foi precisamente a entrada num mínimo solar, anormalmente prolongado. A profecia maia não é religiosa, mas científica, e é nessa perspectiva que tem de ser entendida. Ainda guardo documentos que na altura consegui sobre os registos maias, e o que aí está é precisamente o mínimo da actividade solar que eles previram. Não tem nada de mágico, nem sequer de profético, os antigos Maias estudarem o Sol, outras civilizações também o fizeram. Toda a profecia maia tem a ver com a actividade solar, não é por acaso que eles veneravam o jaguar, animal cuja pelagem faz lembrar as manchas solares. O livro que há uns anos publiquei sobre as profecias, não do ponto de vista religioso, ficou incompleto quanto à profecia maia. Mal sabem estas publicações o quanto estão a fazer em nome dela. O grande problema são as datas, o calendário maia não coincide com o “ano juliano”, por mais que se tente, mas, como me foi dito por quem sabia alguma coisa da escrita maia, a data que eles previram para a “Regressão do Sol” (Hunab-Ku) é precisamente 2020, ainda que muitos quisessem que fosse 2012, mas isso era um acerto tresloucado que quiseram fazer com a nossa contagem de tempo, que está totalmente errada, ninguém sabe em que ano está.

  6. Rodrigo Tarcio
    Posted 31 julho 2015 at 1:22 PM | Permalink

    Bom dia a todos
    Incrivelmente achei este blog tão rico em informações. Dados recentes que provavelmente tenham garantidos horas de estudo e dedicação por parte do criador do blog. O que desde já, agradeço. Lendo os posts recentes, realmente, para um blog e ainda mais que o conteúdo nem é de fofoca, nem de nudez ou de ilusões de riqueza tem bastante seguidores. Infelizmente, há um mal existente na web, os comentários idiotas. Pessoas que criticam o blog, criticam a escrita ou os erros de concordância, exigem sempre mais do que o encontrado, deviam sim acessar sim os sites de fofoca. Lá, seus comentários caberiam bem melhor. Sand, você está de parabéns pelo seu trabalho que para os interessados é de grande valia. E digo-lhe mais, para um italiano seu português está ótimo.

    Um abraço a todos


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: