A Pequena Idade do Gelo para o mundo inteiro, e dependente do sol!

Durante muito tempo temos ouvido os pareceres científicos sobre a Pequena Idade do Gelo, argumentando que não era um fenômeno global, mas um fenômeno limitado a certas áreas, tais como Europa e América do Norte, Gronelândia, e sobretudo relacionada a um arrefecimento do Atlântico Norte.

Mas novos estudos estão estendendo a PEG dos séculos passados ​​para todo o planeta.

Em particular, um estudo publicado no http://www.geo.umass.edu relativa à extensão das geleiras tropicais nos Andes (reconstrução realizada pelo estudo dos sedimentos dos lagos andinos, até mais de 1.500 anos atrás),  mostra que  tivemos  quatro eventos principais de glaciação entre 1250 e 1810 AD, todos os quatro coincidente com o mínimo de atividade solar nos últimos séculos.

Em particular, a temperatura caiu na área por uma média de -3,2 ° C (+ ou – 1,4 ° C) durante os períodos de minima atividade solar , e a precipitação aumentou em 20%, provocando a mais forte avançada  das geleiras andinas tropicais.

O estudo foi feito na Venezuela sobre a Cordilheira de Mérida, e também mostra que, na maior parte dos últimos 10 mil anos, as geleiras estavam completamente ausentes na área.

Em outras palavras, nos últimos 10 mil anos o clima era normalmente “quente”, enquanto um rápido declínio na atividade solar causou a mudança climática repentina com forte avançada glacial.

Entre as conclusões desta pesquisa é o fato de que o PEG foi quase certamente estendido para o mundo inteiro, e não foi restrita à área europeia e norte-americano.

Além disso, os avanços e os retiros glaciais são extremamente sensíveis a mudanças na atividade solar.

Se de fato estamos entrando em um novo  “grande mínimo solar”, os efeitos poderiam ser notável em um curto espaço de tempo, e o clima do mundo vai mudar também no hemisfério sul!

16 15 jun 800px-Sierra_Nevada_de_Mérida_ (Venezuela)

 SAND-RIO

 

Anúncios

10 Comments

  1. Posted 25 junho 2015 at 12:49 PM | Permalink

    Sim, com certeza. Acho que a maior evidencia disso é o record de gelo na Antártida nossa principal fonte de frio. Acho inclusive, que países que ficam muito ao sul como argentina, africa do sul e nova Zelândia serão os primeiros a sofrer.

    • Antonio Gomes
      Posted 25 junho 2015 at 8:39 PM | Permalink

      Concordo com você Marcio

  2. Renata
    Posted 25 junho 2015 at 5:08 PM | Permalink

    Acredito, que as PEG ficavam relacionadas apenas ao hemisferio norte, porque nao tinha grandes civilizaçoes nem registros no hemisferio sul. Pouco sabia o que acontecia por aqui. Dos anos 1940 aos anos 1970, houve invernos intensos tanto no hem. norte quanto aqui no hemisferio sul.

  3. Antonio Gomes
    Posted 25 junho 2015 at 8:38 PM | Permalink

    Ontem na Globo a Maria Júlia Coutinho a moça do tempo do “Jornal Nacional”, comentou de uma forte pressão atmosférica no mar , com ventos anti ciclônicos que fez com que uma frente fria chegasse até o Nordeste no sul da Bahia podendo seguir em frente. O William Bonner brinca com Maria Júlia Coutinho, e pergunta se isso era normal ou era uma anomalia. Ela responde não é comum, mas também nada de anormal até ali. E que a frente fria foi seguida de uma forte camada de ar polar. Bem para mim isso é novidade.

  4. Patrocinio Ferreira
    Posted 25 junho 2015 at 10:41 PM | Permalink

    A partir de 2012 o Polo Sul vem batendo recorde após recorde de formação gelo, tanto em espessura na área continental quanto na extensão marinha. As correntes marítimas das Malvinas e de Benguela, com aproximadamente, 300Km de largura esfriam o Atlântico de modo que a evaporação diminui; diminuindo o teor de vapor d’água na atmosfera as chuvas no Nordeste brasileiro também diminuem. Isso é só o começo de um período de “vacas magras”que deve perdurar até 2023 a 2025.

  5. Posted 26 junho 2015 at 6:00 PM | Permalink

    O Sand em Abril havia postado um site mostrando dados sobre o retardo do degelo da Gronelândia esse ano. Estive acompanhando esse site e vi que aconteceu uma coisa igualmente estranha, o gelo derreteu em uma velocidade também record como pode ser visto :http://beta.dmi.dk/en/groenland/maalinger/greenland-ice-sheet-surface-mass-budget/ . Imagine a quantidade de água doce que fluiu subitamente para o atlântico norte e as consequências disso para o próximo inverno de lá.

  6. Antonio Gomes
    Posted 26 junho 2015 at 7:58 PM | Permalink

    Fortaleza Ceará teve temperatura no final da tarde de ontem de 21°C, de madrugada o frio aumentou fez 19°C isso no Ceará é frio para pegar um lençol grosso. Deve ter sido a frente fria que estava na Bahia e subiu.

  7. josep
    Posted 27 junho 2015 at 8:27 PM | Permalink

    Relatos de uma época em que até os russos sentiam frio em SP

    http://www.unicamp.br/unicamp/ju/541/relatos-de-uma-epoca-em-que-ate-os-russos-sentiam-frio-em-sp

    • Posted 27 junho 2015 at 10:00 PM | Permalink

      obrigado josep, vou postar no blog o artigo da pesquisa do Ricardo Araki. MUITO INTERESSANTE.

  8. Antonio Gomes
    Posted 28 junho 2015 at 2:42 PM | Permalink

    Essa de São Paulo acho que ninguém sabia, uma coisa que a televisão poderia faze até um documententário, mas não só passa porcaria e bumbuns de mulheres vulgares.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: