As provas do circuito elétrico sísmico mundial. Galina Khachikyan

Zhumabek Zhantaev (1), Galina Khachikyan (2) [Foto], e Nikolai Breusov (3)

(1) Centro Nacional de Pesquisas Espaciais e Tecnologias, Almaty, Cazaquistão (admion1@mail.ru ), (2) Instituto de Ionosfera do Centro Nacional de Pesquisa e tecnologias espaciais, Almaty, Cazaquistão ( galina.khachikyan@gmail.com), (3) Centro Nacional de Pesquisas Espaciais e Tecnologias, Almaty, Cazaquistão (breusov_47@mail.ru )

Galina

Resumo de trabalho apresentado na EGU 2014 – Viena –

Descobriu-se  nas últimas décadas que a atividade sísmica da Terra tem uma tendência a aumentar com a diminuição da atividade solar (e, portanto, com o aumento dos raios cósmicos). Um bom exemplo desse efeito, pode ser o aumento do número de terremotos catastróficos que ocorreram recentemente durante o ultimo longo  mínimo solar.

1

Entre 1973 e 2011 houve 20 terremotos com M = 7,0 em regiões com L = 2,0-2,2. Todos esses eventos ocorreram apenas na fase de declínio dos ciclos solares de 11 anos, enquanto eles estavam ausentes na fase ascendente [Khachikyan et al. , 2010]

Este resultado apoia a ideia da existência de uma relação sol-litosfera, que, sem dúvida, é parte do modelo global das interações Terra-Sol. O mecanismo físico de tais relacionamentos não foi ainda bem compreendido. Atualmente acredita-se que um dos principais “engrenagem” deste mecanismo poderia ser o circuito elétrico global (GEC), e que é um loop (salto) de correntes verticais elétricos e penetrantes, em acoplamento eletrodinâmico com toda a geosfera. Acredita-se também que o limite superior do GEC está localizado na magnetopausa, onde o campo magnético do vento solar é restabelecido com o campo geomagnético, resultando em uma penetração de energia do vento solar  no ambiente terrestre.

2

Tendo em conta que a penetração da energia solar eólica no ambiente terrestre é melhor descrito em coordenadas geocêntricas na magnetosfera solar (GSM), a distribuição espaço-temporal dos terremotos poderiam ser destacado da melhor maneira usando o sistema de coordenadas mostrado acima.

34Sismos preferem estar no lugar em que (e quando) o componente geomagnético “Z” nas coordenadas GSM (ZGSM), atinge um valor positivo grande. A magnitude máxima possível do sismo depende linearmente sobre o valor absoluto do epicentro ZGSM componente e o tempo da ocorrência do sismo [Khachikyan et al. , 2012].

A eficácia do GEC operação depende da intensidade dos raios cósmicos (CR), que ionizam o ar na atmosfera do meio através do aumento da condutividade.

Em relação ao que foi dito acima, pode ser esperado que:

I), a partir do ponto de vista quantitativo, a actividade sísmica vai crescer no espaço de tempo de no máximo solar mínimo solar, o mesmo aumento no fluxo de raios cósmicos e CR II) nestas regiões do globo, em que a crosta é transportado por linhas do campo magnético com L = ~ 2.0 e que são preenchidos pelos raios cósmicos anômalos, o relatório de actividade sísmica com mudanças na atividade solar irá se manifestar de forma mais clara, uma vez que há uma dependência acentuada de raios cósmicos, sobre as variações de ‘atividade solar.

O mapa mostra as ligações do campo magneto na superfície da Terra, de L valores de 1,5 , 2 , 3 , 4 e 5 . Se estendida no espaço , estas linhas de campo passar através do ‘ equador do magnético da Terra em 1,5 , 2 , 3 ,4 e 5 raios da Terra , respectivamente .

Assumindo que a suposição (I), os dados do catálogo global do seismological NEIC, USGS (1973-2010) verificou-se que o número anual de sismos de magnitude + M4.5  varia durante o ciclo de onze anos com flutuações de cerca de 7 a 8%, aumentando durante o mínimo solar, que é qualitativa e quantitativamente de acordo com as mudanças no CR do ciclo solar de 11 anos. Olhando para verificação da hipótese (II),verificou-se que, durante o período de 1973-2010, os 20 sismos de magnitude M7 + ocorreu em zonas sísmicas, onde as linhas de força de geomagnético L = 2,0-2,2 estão em ligação com a crosta Terra.

0

As cristas médio-oceânicas situadas no hemisfério sul, ao longo da fronteira da placa tectônica da Antártida, são magneticamente áreas conjugadas de remoção de orogens e plataformas continentais no hemisfério norte. Há uma forte conjugado magnético entre o limite da placa tectônica de Nazca ea placa de limite ao norte da placa tectônica do Caribe [Khachikyan et al. , 2013].

Surpreendentemente, todos esses terremotos fortes ocorreram apenas durante a fase de declínio do ciclo solar de 11 anos, enquanto eles estão ausentes na fase ascendente. Este resultado demonstra a “hipótese (II) e pode ser considerado para a previsão de fortes terremotos em áreas sísmicas onde a crosta está cheio de linhas do campo geomagnético L = ~ 2.0.

CONCLUSÕES: Os resultados confirmam a idéia moderna, ou seja, que os terremotos estão relacionados com o funcionamento do circuito elétrico global (GEC). No entanto temos a necessidade de pesquisas mais e mais aprofundadas para entender este mecanismo em detalhes.

5

 

Fontes:

http://meetingorganizer.copernicus.org/EGU2014/EGU2014-5253-6.pdf

http://gt.crust.irk.ru/images/upload/tblarticle106/magazin106.pdf

 http://www.scirp.org/journal/PaperDownload.aspx?DOI=10.4236/ijg.2012.35109

 

Michele

4 Comments

  1. Antonio Gomes
    Posted 30 setembro 2014 at 1:19 PM | Permalink

    Além do fato de estarem aumentando em muito os terremotos na terra, venho falar de um assunto importante, que a mídia só abordou no caso do vulcão Japonês Ontake, ele acordou sem nem um aviso o que é muito incomum e foi com uma explosão violenta de gases tóxicos e nuvem de 10 Km matando 35 pessoas e deixando outras tantas desaparecidas. O vulcão Ontake, de 3.067 metros de altitude, despertou bruscamente ao meio-dia de sábado, lançando espessas nuvens de fumaça, cinzas e pedras, logo depois e um grande estrondo. O engraçado que esses estrondos surdos estão se espalhando pelo mundo, inclusive no Brasil já houve relatos desses estrondos com tremores de terra logo em seguida. Outro caso que saiu na G1 na GLOBO, porém sem alarde,
    “Erupção de pequeno vulcão mata criança na Itália.O caso aconteceu na Sicília; o irmão dela também está desaparecido .” A erupção violenta veio também sem aviso. E o vulcão não têm cume, é de planície.
    Explosão aconteceu em área onde é permitida a passagem de pessoas, algumas outras pessoas ficaram feridas. reserva natural de Macalube d’Aragona, na Sicília, na Itália, neste sábado (27), segundo a agência de notícias italiana Ansa. Observem no dia 27.
    O que você acha disso Sand? Têm relação com texto acima?

  2. Humberto Gonçalves
    Posted 17 outubro 2014 at 1:11 AM | Permalink

    Olá,
    Sou estudante de engenharia e li o estudo acima. um professor havia comentado sobre atividade solar e me interessei. dentre os vários assuntos que ele abordou também estava a ressonância Schumann. Neste caso a atividade solar pode estar afetando esta ressonancia, quando alguns estudos indicam que ela pode ter influencia no clima.
    Vivo na Região centro oeste de minas, por pesquisas feitas e relatos de pessoas, percebi que houve aqui uma grande enchente em 1983 seguida anos depois de uma seca agressiva, o que mostra que a atividade solar influencia aqui em minha região no ciclo das chuvas.
    Outro fato que pude observar é que atualmente o sudeste do Brasil está passando por dificuldades relacionadas a falta de agua. o mesmo pode estar ocorrendo pela baixa atividade solar que não é suficiente para a mudança de estado da agua nos oceanos, e isso veio ocorrendo desde o ano de 2010, com redução do período chuvoso. Porém o ser Humano está percebendo dias mais quente e não mais frios, porém nos dias quentes, o calor era suficiente para provocar evaporação e refrigerar a terra, porém estamos sem esta refrigeração solar devido ao baixo nivel de radiação solar.
    Peço desculpas por fazer tais comentarios, sou leigo e observo somente. mas gosto demais destes assuntos e a materia acima é espetacular.

    • Posted 17 outubro 2014 at 2:56 AM | Permalink

      OLHA O ARTIGO QUE POSTEI AGORA E VAT NO LINK RESSONANCIA SCHUMANN
      Ou pode ver aqui:
      http://www.nasa.gov/mission_pages/sunearth/news/gallery/schumann-resonance.html

      A seca no sul est é causada pela NIÑA e o resfriamento do Oceano Pacifico.
      Ou seja pelo sol que não consegue esquentar o oceano como durante os NIÑOS, assim é o Sol que causa as mudanças do clima e do tempo.
      Nesse blog vc pode encontrar tudo o que vc precisa olhando CLIMA DO BRASIL, NIÑO-NIÑA


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: