Desculpem alarmistas do aquecimento global, mas a Terra está resfriando.

Peter Ferrara , Escrito na Revista Forbes em maio passado, após a Conferência do Clima Heartland, em Chicago.

A mudança climática em si já está em processo de refutar definitivamente alarmistas do clima que pensam que o uso de combustíveis fósseis está causando em última instância catastrófico aquecimento global. Isso é porque os ciclos naturais do clima já voltou do aquecimento para refrigeração, as temperaturas globais já em declínio há mais de 10 anos, e as temperaturas globais continuarão a declinar por mais de duas décadas ou mais.

Central para estes ciclos naturais é a Oscilação Decadal do Pacífico (PDO).

Don Easterbrook, professor emérito de Geologia da Universidade Western Washington, publicamente, previu em 2000 que a temperatura global em 2010  cairia, algo que os cientistas políticos no IPCC da ONU não sabiam ou não acharo importante.

Bem, os resultados são, e o vencedor é …. Don Easterbrook. Easterbrook também falou na conferência de Heartland, com uma apresentação intitulada “são previsões de uma tendência de resfriamento de 20-anos credíveis?”  Online  você vai ver como os cientistas devem falar: frio, análise racional e lógica dos dados, e explicação completa sobre isso. Tudo que  sempre Vc não pode  ver a partir dos alarmistas do aquecimento global, pelo contrário, é política de relações públicas, ataques pessoais, argumentos ad hominem, e xingamentos, combinado com quem não podem defender seus pontos de vista no debate público.

Easterbrook mostra que em 2010 a previsão de 2000 do IPCC estava errada por bem mais de um grau, e a diferença foi aumentando. Isso é um  perder feio para uma previsão de apenas 10 anos de distância, quando as mesmas pessoas esperam de nós para levar a sério as suas previsões para 100 anos no futuro. Howard Hayden, professor emérito de Física da Universidade de Connecticut, mostrou em sua apresentação na conferência que, com base no registro histórico de uma duplicação do CO2 poderia ser esperado para produzir um aumento de temperatura de 2 graus C. Tal duplicação levaria a maior parte deste século, e o impacto do aumento da temperatura com o aumento da concentração de CO2 diminui logaritmicamente.

Porque com os ciclos DOP dos últimos 25 a 30 anos, Easterbrook acredita que a tendência de arrefecimento  continua por mais duas décadas ou mais. Easterbrook, de fato, diz que tais 40 períodos alternados de aquecimento e arrefecimento ao longo dos últimos 500 anos, e são compatíveis com os dados similares de 15.000 anos. Ele espera ainda  a inversão do ADO para adicionar à atual tendência descendente.

Mas isso não é tudo. Nós também estamos atualmente em um período surpreendentemente longo com muito baixa atividade das manchas solares. Que está associado na história da Terra, com ainda mais baixas, temperaturas mais frias. O padrão foi visto durante um período conhecido como o Mínimo de Dalton 1790-1830, que viu o declínio de temperatura de 2 graus em um período de 20 anos, e observou o Ano Sem Um Verão em 1816 (que pode ter outras causas que contribuem a curto prazo ).

Pior foi o período conhecido como o Mínimo de Maunder 1645-1715, que viu apenas cerca de 50 manchas solares durante um período de 30 anos dentro do ciclo, em comparação com um típico 40.000 a 50.000 manchas solares durante tais períodos nos tempos modernos. O Mínimo de Maunder coincidiu com a parte mais fria da Pequena Idade do Gelo, que a terra sofreu de cerca de 1350 a 1850. O Mínimo de Maunder  reduziu drasticamente a produção agrícola, e sofrimento humano generalizado, doença e morte prematura.

Tais impactos do sol sobre o clima da Terra foram discutidos na conferência pelo astrofísico e geocientista Willie Soon, Nir Shaviv J., do Instituto de Física Racah na Universidade Hebraica de Jerusalém, e Luning Sebastian, co-autor com os principais ambientalista alemão Fritz Vahrenholt de O Sol Fria .

Easterbrook sugere que a questão ainda pendente é só o quanto frio este presente no  ciclo frio que vai chegar. Será que vai ser modesto como o resfriamento do final dos anos 1940 ao final dos anos 1970? Ou será que a escassez de manchas solares nos conduz todo o caminho até a mínima deDalton, ou até mesmo o Mínimo de Maunder? Ele diz que é impossível saber agora. Mas, com base na experiência, ele provavelmente vai saber antes de a ONU e seu IPCC politizado.

One Comment

  1. Antonio Gomes
    Posted 26 fevereiro 2013 at 7:27 PM | Permalink

    Mais uma vez o clima mudou, e que vêm ocorrendo desde o final de 2012 e início de 2013 deixa tudo mais claro, hemisfério Norte debaixo de frio intenso e nevascas pesadas, e o Hemisfério Sul com muitas tempesdades eletricas,granizo, calor e chuva, em vários países. No Brasil apresenta a mesma configuração noSul e no Sudeste, e no Norte do país. No Nordeste a seca implacável e noites mais frias.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: