Professor alemão de Meteorologia espera arrefecimento nas próximas décadas … “a proteção do clima é ineficaz”

O meteorologista Prof Dr. Horst Malberg tem um artigo publicado no Instituto Europeu de Clima e Energia (Eike) aqui . Ele nos diz que devemos estar se preparando para  mais frio no século 21 em primeiro lugar.

malberg_foto_

Meteorologista Prof Horst Malberg. Crédito da foto: Eike

O Professor Malberg começa seu artigo mostrando e discutindo várias cartas da atividade solar. Hoje estou um pouco em curto tempo, e assim que eu traduziu sua perspectiva e parte da conclusão do artigo, que resume muito bem.

Perspectiva

O sol é actualmente no início de uma fase de calma de actividade e, provavelmente, atingirá o valor crítico médio de 50 manchas solares durante o ciclo em curso, ou mesmo cair abaixo do mesmo, ou seja, o valor de limite entre  um período quente e de frio. Análogo ao das condições climáticas durante o tempo do Mínimo de Dalton, de 200 anos atrás, temos que esperar um arrefecimento do clima nas próximas décadas.

Apenas o sol “instável” irá decidir a extensão geral do arrefecimento esperado e, quando a temperatura novamente irá começar a aumentar gradualmente. Esta última deverá ocorrer na segunda metade do século 21, quando o sol retorna para uma fase mais activa.

Tanto o ciclo de 200-ano De Vries  e o ciclo de 80 a 90 anos de Gleissberg indicam para uma queda iminente na atividade solar que terá consequências para o clima global e oferta de alimentos.

O cientista russo I. Abdussamatov de observatorio Pulkovo  perto de São Petersburgo ( www.eike.eu ) chegou à mesma conclusão. Ainda de acordo com os seus resultados, o mínimo solar – que corresponde ao pico de arrefecimento – é esperado para ser alcançado durante o ciclo das manchas solares por volta do ano 2055.

O CO2 não será capaz de manter a Europa nem o mundo a partir de refrigeração. No máximo, ele vai ajudar a moderar a temperatura para diminuir um pouco o arrefecimento.

A temperatura global não aumentou em 15 anos. Ela estagnou, e nos últimos anos tem mostrado até mesmo uma tendência de queda – apesar dos enormes aumentos anuais em emissões de CO2. (Por que não tem o público foi informado desta pela mídia?) Para o IPCC motivação política e seus seguidores, agora é hora de dar-se o dogma da dominação CO2 do clima e da marginalização e branding de quem discorda da ciência do clima “oficial”. Só porque um pertence ao mainstream não significa que ele automaticamente tem um melhor conhecimento da ciência.

Prevendo um aquecimento global de 4 º C e associados conseqüências apocalípticas até 2100 pelos modelos dominantes de clima associados ao CO2 (Banco Mundial, PIK) é pura hipóteses. Enquanto os efeitos solares e interações associadas são subestimadas e os efeitos do CO2 exageradas, nenhuma conclusão climática realistaa pode ser esperada.

As análises anteriores do clima permitem que apenas uma conclusão seja feita:

Comparado com o efeito do clima integrante solar, em suas complexas e não-lineares mecanismos interativos (mar, nuvens, albedo, a biosfera, os raios cósmicos, …), o efeito greenhouse/CO2 antrópica é apenas de importância subordinada. Além disso, a mídia tenta rastrear eventos climáticos singulares a uma influência antrópica não tem mérito. A história mostra que os furacões, tempestades tropicais, furacões, secas e inundações ocorreram dentro e fora ao longo dos séculos como um resultado de constelações sinópticas.No entanto, por causa do crescimento da população de 7 bilhões, mais e mais pessoas e seus bens estão sendo afetados por catástrofes naturais.

Em vez de tentar mais-classificado e proteção do clima ineficaz, todos os esforços devem se concentrar na proteção ambiental global: ar limpo, água limpa, solo não contaminado e um ecossistema intacto estão entre os direitos fundamentais das pessoas. Medidas para redução de CO2 pode ser justificada pelos recursos limitados de combustível fósseis e da poluição que vem de processos de combustão. Chamada a proteção do clima é, por outro lado, pelo menos a eficácia de todas as medidas. Nunca houve um clima estável ao longo do curso da história, e não vai ser um problema no futuro. “

2 Comments

  1. Antonio Gomes
    Posted 19 fevereiro 2013 at 11:54 PM | Permalink

    O Prof Horst Malberg, está dentro da lógica, disse apenas o que os daos solares têm indicado. Como o sol está em mínimo e assim deve ficar por um bom tempo, a tendência do clima é de arrefecimento. Vamos ter mais frio e menos terra para plantar. Isso vai ser bem pior que aquecimento do clima.

  2. Posted 20 fevereiro 2013 at 5:42 AM | Permalink

    Caro Sand.
    .
    Como sabes não sou alarmista do clima e acredito na influência do Sol no clima, mas esta notícia deste professor de climatologia num blog que é já conhecido por todos por ser anti AGW é requentar notícias antigas.
    .
    Acho que é mais importante detalhar assuntos já desenvolvidos por bom autores em boas revistas do que dar importância a repetição dos trabalhos antes citados. Me parece que este alemão está comendo pela mão dos outros.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: