Efeitos do vórtice Polar

O vórtice polar é um vento circumpolar que se forma sobre ambos os pólos. O vórtice sobre o Árctico é menos estável, uma vez que a superfície alternada de oceanos e continentes sobre a Terra no Hemisfério Norte perturba a formação do vórtice. No vórtice antárctico podem atingir-se temperaturas muito baixas, favorecendo que o ar de altitudes muito elevadas (contendo compostos responsáveis pela destruição do ozono) desça até altitudes mais baixas.
Polar vortex and temperature
5. a) Ilustração tridimensional da intensidade do vento e da temperatura no vórtice polar.
Dados de: NASA / Goddard Space Flight Centre – simulação por IBM
Prima para aumentar!

 

Polar vortex and ozone hole
5. b) Ilustração tridimensional da intensidade do vento no vórtice polar e da destruição do ozono, em Outubro de 1987.
Dados de: NASA / Goddard Space Flight Centre – simulação por IBM
Prima para aumentar!

 

Apesar de a perda de gelo durante o verão 2010 ter sido mais dramática, o Centro Nacional de Dados de Gelo e Neve informou que durante o mês de janeiro 2011, época de tempestades com recordes de neve e temperaturas glaciais nas altitudes médias, a extensão do gelo marinho do Ártico alcançou seu nível mais baixo desde que os satélites começaram a monitorá-lo em 1979.
Os responsáveis do Centro de Gelo e Neve explicam a conexão:
“O ar frio é mais denso que o ar quente, e por isso é mais próximo da superfície. Ao redor do Polo Norte, este ar frio e denso provoca um padrão de vento circular chamado vórtice polar, que ajuda a manter o ar frio preso entre os polos. Quando o gelo marinho não se forma durante o outono e o inverno, o calor do oceano escapa e aquece a atmosfera. Isso pode enfraquecer o vórtice polar, permitindo que o ar frio escape do Ártico e se mova para regiões de latitudes médias em determinados anos, provocando invernos potencialmente frios em baixas latitudes”.

Isso acontecerá também nos primeiros meses do 2012 com temperaturas gélidas na Europa, Sibéria e norte da Asia e no norte do continente americano como Canada e USA.

È um problema fisico, se o vortice polar alarga a sua circunferência indo a latitudines mais baixas provoca mais frio nas latitudines baixas mas no mesmo tempo esquenta. È como se vc tem um quarto muito frio pelo AR ligado com a porta fechada e o quarto perto é quente porqué não tem o condicionador de ar. Se vc abre a porta o frio passa no quarto quente   resfriandolo mas no mesmo tempo o quarto com o AR ligado fica mais quente.

Por isso teremos um inverno 2012 muito frio na Europa, America do Norte e Asia mas no mesmo tempo teremos menos gelo no artico. O mesmo aconteceria no hemisferio sul com o vortice antartico.


IMAGENS: Estas imagens sobra comparam os padrões atmosféricos de alta e baixa pressão do mês de janeiro de 2011 (à esquerda) e a média dos meses de janeiro no período entre 1968 e 1996 (à direita). As partes em amarelo e vermelho significam pressões mais altas, e as azuis e violeta, as mais baixas. Os números indicam o nível de pressão de 850 milibares acima da superfície. Observe que estes valores de pressão normalmente são encontrados mais perto da superfície ao redor do polo. Os ventos seguem os contornos da pressão ao redor do polo e o ar frio permanece preso no Ártico. Este ano, o padrão de pressão está permitindo que o ar frio (no canto superior direito) se desloque do Ártico para latitudes médias.

SAND-RIO

Anúncios

One Comment

  1. Francisco Gomes
    Posted 18 setembro 2011 at 1:43 PM | Permalink

    É o resumo da obra, isso pode ser uma tendência daqui para frente.E para piorar “La ninã” voltou,está no pacífico o que vai gerar mais frio, vamos ter muita neve no hemisfério Norte ainda esse ano, e mais vai as tempestades vão parar os transportes por lá.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: