C. de Jager: Atividade Solar e sua influência sobre as alterações climáticas

article image

Fig. 1. O ciclo de números de mancha solar desde 1610, mostrando os 11 anos de idade.

Abstract

Atividade solar, manifestada por seus muitos componentes Equatoriais, bem como de alta latitude de variabilidade a curto prazo é regulada pelo Dínamo do sol. Isto constitui uma complexa interação entre o solar toroidal e componentes do campo magnético de poloidal. O Dínamo tem origem em tacoclina, que é uma fina camada situada cerca de 200.000 km abaixo da superfície solar. Nos artigos sobre o conhecimento basico do Sol podem ver as explicações de dinamo solar, tecoclina, toroidal e poloidal.

O Dínamo é um sistema não-linear com determinísticos elementos caóticos, portanto, em princípio imprevisível. Ainda há regularidades no comportamento passado, tais como o Grand Maxima (exemplo: o máximo de alto recente da segunda metade do século XX) a grande Minima  (por exemplo, o minimo de Maunder  entre 1650 e 1710) e as oscilações Regular como aquelas entre 1730 e 1923. As ocorrências são descritas por um diagrama de fase em que um ponto específico pode ser identificado: o ponto de transição.

Este diagrama desempenha um papel essencial na determinação da futura atividade solar. Guiado por suas quasi-regularidade e por recentes medições dos campos magnéticos solares encontramos que o sol atualmente está passando por uma transição entre o passado grande máximo e um próximo período de oscilações Regular.

Temos tempo que este último período vai começar daqui a alguns anos e vai continuar pelo menos um ciclo de Gleissberg e que o próximo máximo solar (esperado para 2014) será baixo (Rmax ~ 68).

Vamos discutir os drivers heliospheric de interação do sol-clima e achar que as regiões magnéticas de baixa latitude contribuam mais para temperaturas troposférico, mas que também a influência da atividade polar – até agora sempre negligenciada – é significativa.

Subtração esses componentes de temperaturas observadas dos últimos 400 anos mostra uma série de picos relativos residual e mergulha na temperatura. Estes altos e baixos última por períodos de fim de ciclo Gleissberg. Um deles é o recente período de aquecimento global, que, deste ponto de vista, não é um período excepcional.

Clique em fonte para download do arquivo PDF e ler o livro completo de c. De Jager.

Source Link: njgonline.nl

2 Comments

  1. bruno Pinho
    Posted 28 junho 2011 at 5:01 PM | Permalink

    Cade o aquecimento global? Será que daqui a 20 anos veremos a capital de SP marcando próximo a zero?

    link: http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/sao-paulo-tem-a-madrugada-mais-fria-do-ano-20110628.html
    São Paulo tem a madrugada mais fria do ano

    Segundo o CGE, termômetros chegaram aos 6 ºC, igualando recorde de 2003

  2. Antônio Gomes
    Posted 28 junho 2011 at 9:28 PM | Permalink

    Não vai ser necessário esperar tanto, hoje de madrugada São Paulo teve 2,6°graus, para 0 faltou só um pouquinho. E é que o inverno mal começou.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: