Cultivo de cana-de-açúcar resfria o clima

Agência Fapesp –

http://wattsupwiththat.com/2011/04/18/another-significant-land-use-effect-found-sugar-cane/

http://www.eurekalert.org/pub_releases/2011-04/ci-scc041411.php

// //

Areas aptas para o plantio da cana de açucar no Brasil

Boa notícia para o etanol. Uma pesquisa feita por cientistas do Departamento de Ecologia Global da Carnegie Institution, nos Estados Unidos, concluiu que a cana-de-açúcar ajuda a esfriar o clima.

O estudo aponta que o esfriamento do clima local se deve à queda da temperatura no ar em torno das plantas à medida que essas liberam água e à reflexão da luz solar de volta ao espaço.

O trabalho, liderado por Scott Loarie, procurou quantificar os efeitos diretos no clima da expansão da cana-de-açúcar em áreas de outras culturas ou de pecuária no Cerrado brasileiro.

Transpiração das plantas

Foram utilizadas centenas de imagens feitas por satélites que cobriram uma área de quase 2 milhões de metros quadrados.

Os cientistas mediram temperatura, refletividade e evapotranspiração, a perda de água do solo por evaporação e a perda de água da planta por transpiração.

“Verificamos que a mudança da vegetação natural para plantações e pastos resulta no aquecimento local porque as novas culturas liberam menos água. Mas a cana-de-açúcar é mais refletiva e também libera mais água, de forma parecida com a da vegetação natural”, disse Loarie.

“Trata-se de um benefício duplo para o clima: usar cana-de-açúcar para mover veículos reduz as emissões de carbono, enquanto o cultivo da planta faz cair a temperatura local”, destacou.

Destruição do Cerrado

Os cientistas calcularam que a “conversão” da vegetação natural do Cerrado para a implantação de culturas agrícolas ou de pecuária resultou em aquecimento médio de 1,55º C.

A troca subsequente para a cana-de-açúcar levou a uma queda na temperatura do ar local de 0,93º C.

Os autores do estudo enfatizam que os efeitos benéficos são relacionados ao plantio de cana em áreas anteriormente ocupadas por outras culturas agrícolas ou por pastos, e não em áreas convertidas da vegetação natural.

Bibliografia:

Direct impacts on local climate of sugar-cane expansion in Brazil
Scott R. Loarie, David B. Lobell, Gregory P. Asner, Qiaozhen Mu, Christopher B. Field
Nature Climate Change
17 April 2011
Vol.: 1, Issue 2
DOI: 10.1038/nclimate1067

SAND-RIO

One Comment

  1. Posted 1 maio 2011 at 2:14 PM | Permalink

    Muito bom! Talvez isso possa interferir no tempo também, na quantidade de nuvens nas regiões de canaviais e possivelmente também no aumento de desastres climáticos relacionados a grandes precipitações, como as que ocorreram em Pernambuco e Alagoas ano passado e possivelmente ocorrerão novamente este ano. Visto que seis cidades de Alagoas já estão sofrendo novamente com as chuvas em 2011 um metro acima de 2010. Se ano passado quase morremos esse ano ficam poucos vivos!


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: