OUTRO RELATORIO FARSA SOBRE AQUECIMENTO GLOBAL È DESCLASSIFICADO.

Está se tornando um exercício enjoativo acompanhar a sucessiva revelação de fraudes em relatórios ‘científicos’ que justificariam o “aquecimento global” supostamente causado pelo homem.

Agora, o relatório do EurekAlert, grupo independente apoiado pela American Association for the Advancement of Science ‒ AAAS, que previa um aumento de 2,4º C na temperatura do planeta e que provocaria dramática escassez de alimentos está seriamente deformado, denunciaram cientostas.

O relatório alarmista foi espalhado por numerosas agências internacionais inclusive a AFP que se penitenciou pela divulgaçao.

A própria AAAS desclassificou o estudo apontando numerosos erros. Ginger Pinholster, portavoz da prestigiosa associação, disse que a entidade foi alertada pelas observações de um jornalista do “The Guardian” e apelou a um especialista em mudança climática que confirmou as perplexidades suscitadas pelo relatório.

Por certo, as causas das perplexidades não foram pequenas, porque a AAAS imediatamente tirou o relatório do seu website.

Um dos responsáveis do relatório desautorizado é o cientista Osvaldo Canziani, que fazia parte da equipe do IPCC galardoada com o Premio Nobel em 2007. Quando a revelação da fraude foi feita ele ficou desaparecido para a imprensa.

Alarmismo climâtico e science-fiction: fronteiras interpenetrantes

O climatólogo Ray Weymann disse à agência AFP que o “estudo contém erros significativos” e que a redatora ‒ Liliana Hisas da Ong Fundo Ecológico Universal (UEF) ‒ fora alertada dos erros antes da publicação “várias vezes”, mas ela se negou a corrigi-los.

O cientista Scott Mandia escreveu em e-mail à AFP que ainda que se aceite como verossímil a maior taxa de aquecimento proposta “a temperatura da Terra só aumentaria em 0,2 Cº até 2020”, enquanto o relatório apontava um crescimento inverossímil de 2,4 C, quer dizer, quase dez vezes mais que a hipótese mais extremada.”

Marshall Hoffman da empresa de relações públicas que publicou o relatório em nome da UEF disse que, ainda assim, o grupo defende o estudo.

Não é de espantar, religião cega é assim. Hoffman ainda tentou esboçar alguns argumentos em favor da tese descabelada.

Solicitado a comentar a resposta de Hoffman, Mandia disse à AFP: “Ele ainda está confuso.”

3 Comments

  1. Posted 9 março 2011 at 3:32 PM | Permalink

    Sand,

    Além do alarmismo desnecessário e inútil. Como a queda de 14% na produção mundial de trigo e a diminuição de algo entre 2,5% a 5% na produção de soja e milho na América Latina.

    O susto real veio do seguinte fato.

    Foi um jornalista do The Guardian que alertou inicialmente a AAAS sobre o erro exagerado. Partindo da engajada imprensa britânica não é mais importante seguir o comentário.

    No meu giro matinal pela rede mundial. Veja o que encontrei.

    Algo assim,

    Marte também sofre com as mudanças climáticas.

    Interessante….continuei lendo até que deparo com isto.

    Uma das principais causas destas mudanças é o dióxido de carbono congelado ou gelo seco, que cobre a área no inverno e muda para uma forma gasosa na chegada da primavera.

    Santa Madre de Dios estes marcianos não aprenderam ainda a utilizar energia eólica. “Salvem Marte”.

    Vou tentar preparar algum post sobre as mudanças climáticas marcianas. É desesperadora a tentativa de atribuir as “mudanças climáticas” marcianas ao pobre CO2.

    Abraços desesperados.

  2. Rosana
    Posted 9 março 2011 at 4:14 PM | Permalink

    Vocês são muito competentes em seus comentários (e espirituosos…).

    Post interessante e cortante no que diz respeito à capacidade da imprensa em cumprir a função social da informação. Na contramão, ela parece favorecer interesses meramente políticos ligados à iniciativa privada e seus conglomerados econômicos.

    Abs

  3. marcele
    Posted 11 março 2011 at 4:55 PM | Permalink

    Tudo isso já foi previsto e relatado a mais de dois mil anos atrás.Leia mateus 24 todo o capítulo (bíblia)e entenderá que nada disso é novidade para nós.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: