O sol ainda está em uma queda. È a idade do gelo próxima ao virar da esquina?

O Space Weather Prediction Center do NOAA (SWPC) produziu ontem os seus mensal a progressão do ciclo solar de atualização.  Nós tivemos uma queda na atividade solar novamente em dezembro, a contagem de manchas solares é menor, mas a coisa realmente preocupante é o índice geomagnético Ap.  O dínamo solar caiu agora para níveis de atividade magnética visto pela última vez no final de 2009.  Os leitores podem recordar este post : Geomagnéticas Solar Ap índice chega a zero.

Aqui está o Índice  AP do SWPC:

O valor do Ap 3, foi visto pela última vez no final de 2009 e início de 2010, que entre parênteses o valor mais baixo observado em 10 anos (no gráfico SWPC) de p = 2 em dezembro de 2009.   Foi também o menor valor no registro então. O SWPC tem  revistos os dados para cima em 1-2 de Dezembro de 2009. Aqui está o que parecia então:


E aqui é a história daquela época:

Solar geomagnetic index reaches unprecedented low – only “zero” could be lower – in a month when sunspots became more active

O fluxo de 10,7 centímetros de rádio é um pouco mais animador, mas ainda bastante anêmicos em relação ao local para onde deveria ter sido no ciclo solar.

Aqui estão os dados: http://www.swpc.noaa.gov/ftpdir/weekly/RecentIndices.txt

A última atualização importante para a previsão da NOAA veio em maio de 2009 quando escreveu:

08 maio de 2009 – A previsão do ciclo solar 24  dos fisicos solares  chegou a uma decisão de consenso sobre a previsão do próximo ciclo solar (Ciclo 24).  Primeiro decidiu que o mínimo solar ocorreu em dezembro de 2008.  Isso ainda pode ser classificado como uma previsão, pois o número de manchas solares suavizado só é válido até setembro de 2008.  O painel dos fisicos solares  decidiu que o próximo ciclo solar será abaixo da média de intensidade, com um número de manchas solares máximo de 90.  Devido à data prevista de mínimo solar e da intensidade máxima prevista, a máxima atividade solar está prevista para ocorrer em maio de 2013.  Note, esta é uma opinião de consenso, não uma decisão unânime.  A maioria absoluta do painel não concorda com esta previsão.

Parece ser outra vez  que a “previsão de consenso” falhou.

Os dados de Livingston e Penn (de Dr. Leif Svalgaard) continua imbatível e na trilha que as manchas  se torneram invisíveis quando o as umbral do campo magnético atingerá 1500 gauss.

Livingston e Penn papel: “Manchas podem desaparecer até 2015”.

Mas o resto do mundo agora está apenas começando a perceber a importância do trabalho de Livingston e Penn  relacionado com as manchas solares. Science correu com uma história significativa: Diga adeus às manchas solares

Aqui está um trecho destacado:

O último mínimo solar deveria ter terminado no ano passado, mas algo estranho está acontecendo. Embora o mínimo solar dura cerca de 16 meses, o atual se estendeu durante 26 meses, o mais longo em um século. Um dos motivos, de acordo com um documento apresentado à União Astronómica Internacional Symposium No. 273,  é que a intensidade do campo magnético das manchas solares parece estar diminuindo.

… …

Os cientistas que estudam as manchas solares durante os últimos dois décadas concluíram que o campo magnético que aciona a sua formação tem vindo a diminuir. Se a tendência atual continuar, em 2016 a face do sol pode tornar-se sem manchas  e permanecer assim ao longo de décadas, um fenômeno que, no século 17 coincidiu com um período prolongado de arrefecimento na Terra.

Se essa linha de fundo continuerá a diminuir, não haverá mais manchas solares, e os invernos serão mais frios, Primavera e Outono muito mais curtos e verões mais frios.  Isto terá um fortissimo  impacto sobre a oferta mundial de alimentos. Prepare-se para tempos mais difíceis, este poderia ser o início da próxima era glacial, pelo menos uma mini era do gelo.

Vivemos em tempos interessantes.

SAND-RIO

Anúncios

One Comment

  1. Posted 18 janeiro 2011 at 3:42 PM | Permalink

    – O aquecimento das espículas a milhões de graus nunca foi diretamente observado.

    Bom, Aqui parece que o problema só mudou de lugar.

    A atividade solar é forçante climática para o IPCC 4.

    a- Se nada acontecer. O IPCC errou.

    b- Se algo acontecer. O IPCC errou, pois supôs ser constante a atividade solar.

    Realmente,

    Sand.

    Tempos interessantes.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: