CLIMA BRASIL: CLIMATOLOGIA DA TROPOSFERA DA AMÉRICA DO SUL

Massas de Ar


 

  • Resultam das variações na intensidade do aquecimento que ocorre próximo à superfície da Terra assim como da disponibilidade de água;
  • Sua classificação baseia-se nas diferenças de temperatura (polar ou tropical) e umidade (continental ou marítima); os perfis verticais dessas variáveis indicam o processo de formação da massa de ar;
  • Polar continental
    • Forma-se na Antártica. É fria, seca, estável e rasa ( 3 a 4 km)
    • Por condução, o ar em contato com a superfície se esfria
    • Ocorre resfriamento do topo por divergência do fluxo radiativo, aprofundando a camada
    • Esta massa de ar não se inclui nas características da América do Sul pois sofre grandes transformações ao cruzar o oceano.
  • Polar marítima (mP)
    • Forma-se sobre áreas oceânicas em latitudes altas como transformação da polar continental
    • Fria, úmida, instável e profunda (estende-se através da troposfera)
    • Penetram no continente sul-americano pelo oeste ou pelo sul/sudoeste
  • Tropical marítima (mT)
    • Formada sobre o Atlântico Tropical de 10°N a 25°S, sendo suprida de calor e umidade por baixo
    • Quente, úmida, instável e profunda
    • Por ser condicionalmente instável, por levantamento pode se tornar convectivamente instável
  • Tropical continental (cT)
    • Originada sobre a região central da América do Sul
    • Quente, seca, instável e profunda

    • Presença dos Andes
  • forte influência na distribuição das massa de ar
  • impede que a massa de ar à oeste da montanha passe para o lado leste
  • canaliza a massa de ar tropical marítima a leste da montanha na direção sul

Verão e Inverno

  • circulação geral bastante semelhante, com a diferença básica de umidade disponível;
  • presença da ZCIT no verão (questionável);
  • no inverno, vento sudeste constante cruzando o equador;
  • no verão, vento leste menos frequente aproximadamente paralelo ao equador;
  • anticiclone do Atlântico com maior curvatura no inverno do que no verão;
  • baixa de superfície amazônica prolongada para o sul durante o verão;
  • no verão, aglomerados convectivos sobre a planície amazônica e a presença da Baixa do Chaco na região do Paraguai;
  • no inverno, maior influência dos sistemas frontais a norte de 15°S e ocorrência de baixas desprendidas na região sul.



Precipitação anual

Climatologia Dinâmica do Brasil e principais sistemas meteorológicos * Climanálise – Número Especial (1986) e Edição de 10 anos (1996) Escala das perturbações

* Intrasazonal (15 a 60 dias)
* Sinótica (1 a 10 dias)
* Sub-sinótica (< 1 dia)

Em qualquer região, o clima é determinado pela circulação geral da atmosfera, a qual é resultado:

* (i) do aquecimento diferenciado do globo pela radiação solar,
* (ii) da distribuição assimétrica dos oceanos e continentes, e
* (iii) das características da superfície (topografia, água/gelo/terra, vegetação).

Os padrões de circulação gerados na atmosfera redistribuem calor, umidade e momento pelo globo de forma não homogênea, podendo aumentar ou diminuir diferenças regionais.

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: