CO2: O GAS (SERRA?) SACRADO PARA VIVER.

O dióxido de carbono (também conhecido como anidrido carbónico e gás carbónico é um  compostio quimico constituído por dois atomos de oxigenio e um atomo de carbono. A representação química é CO2. O dióxido de carbono foi descoberto pelo escocês Joseph Black em 1754.

Estruturalmente o dióxido de carbono é constituído por moléculas de geometria linear e de carácter apolar. Por isso as atracções intermoleculares são muito fracas, tornando-o, nas condições ambientais, um gas.  Daí o seu nome comercial gás carbônico.

O dióxido de carbono é essencial à vida no planeta. Visto que é um dos compostos essenciais para a realização da fotossíntese – processo pelo qual os organismos fotossintetizantes transformam a energia solar em energia química. Esta energia química, por sua vez é distribuída para todos os seres vivos por meio da teia alimentar.  Este processo é uma das fases do ciclo do carbono  e é vital para a manutenção dos seres vivos.

O carbono é um elemento básico na composição dos organismos, tornando-o indispensável para a vida no planeta. Este elemento é estocado na atmosfera, nos oceanos, solos, rochas sedimentares e está presente nos combustíveis fósseis. Contudo, o carbono não fica fixo em nenhum desses estoques. Existe uma série de interações por meio das quais ocorre a transferência de carbono de um estoque para outro. Muitos organismos nos ecossistemas terrestres e nos oceanos, como as plantas, absorvem o carbono encontrado na atmosfera na forma de dióxido de carbono (CO2). Esta absorção se dá através do processo de fotossíntese. Por outro lado, os vários organismos, tanto plantas como animais, liberam dióxido de carbono para a atmosfera mediante o processo de respiração. Existe ainda o intercâmbio de dióxido de carbono entre os oceanos e a atmosfera por meio da difusão.

A libertação de dióxido de carbono via queima de combustíveis fósseis e mudanças no uso da terra (desmatamentos e queimadas, principalmente) impostas pelo homem constituem importantes alterações nos estoques naturais de carbono e tem um papel fundamental na mudança do clima do planeta.

O CO2 é um dos gases do efeito estufa  que menos contribui para o aquecimento global, já que representa apenas 0,03% da atmosfera.

O excesso de dióxido de carbono que atualmente é lançado para a atmosfera resulta da queima de combustíveis fósseis principalmente pelo setor industrial e de transporte. Além disso, reservatórios naturais de carbono e os sumidouros (ecossistemas com a capacidade de absorver CO2) também estão sendo afetados por ações antrópicas. Devido o solo possuir um estoque 2 a 3 vezes maior que a atmosfera, mudanças no uso do solo podem ser importante fonte de carbono para a atmosfera (WOODWEL,1989,DAVIDSON e TRUMBORE, 1995).

Nas últimas décadas, devido à enorme queima de combustiveis fosseis, a quantidade de gás carbônico na atmosfera tem aumentado muito, mas isto não prova que o gás carbônico contribui com relevância para o aquecimento do planeta.

A concentração de CO2 na atmosfera começou a aumentar no final do século XVIII, quando ocorreu a revolução industrial, a qual demandou a utilização de grandes quantidades de carvão mineral e petróleo como fontes de energia. Desde então, a concentração de CO2 passou de 280 ppm (partes por milhão) no ano de 1750, para os 393 ppm atuais, representando um incremento de aproximadamente 30%.

Este acréscimo na concentração de CO2 implica no aumento da capacidade da atmosfera em reter calor e, mas não consequentemente, da temperatura do planeta, pois houve decrécimos de temperatura também neste período. As emissões de CO2 continuam a crescer e, provavelmente, a concentração deste gás poder alcançar 550 ppm por volta do ano 2100.

Aplicações

Carbon dioxide pressure-temperature phase  diagram.svg

Diagrama de fase pressão-temperatura do dióxido de carbono, mostrando o ponti triplo e o ponto critico.

  • O CO2 é utilizado em bebidas (bebidas carbonatadas) para dar-lhes efervescência.
  • É utilizado em extintores durante os incendiosi para isolar o oxigénio do combustível.
  • É utilizado em botijas  para a prática de paintball.
  • Pode ser utilizado numa concentração de 30 a 40% com gás oxigenio  para produzir efeito anestetico em pequenos animais. 

Riscos

  • Ingerido em excesso pode causar irritações, náuseas, vômitos e hemorragias no aparelho digestivo.  Inalado produz asfixia intensa.
  • Acarreta fenômenos como efeito estufa (forse) ilha de calor, inversão termica smog fotoquimico.  
  • O gelo seco em contato com a pele pode causar queimadura.

SAND-RIO

fonte:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Di%C3%B3xido_de_carbono

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: