O calor na Russia e o catastrofismo

Os alarmistas andam eufóricos pelo mundo inteiro por conta do calor acima da média que vem castigando os Russos.
Para estes, parece que quanto mais desastres ambientais melhor. Pois assim eles tem supostas evidências para comprovar suas teorias.
Atualmente está muito quente na Rússia realmente, mas é um caso localizado, um caso de meteorologia locale e não de mudança climatica. Assim depois do calor nestes dias a temperatura já está nos limites medios e é esperada nos proximos dias uma queda acentuada com o inicio do outono.

O calor na Russia foi um problema de jet stream e de ar parada.

A força motriz da onda de calor na Russia em 2010 foi um sistema de tempo estático, que está preso no local no oeste da Rússia e também está ligado ao pico das chuvas de monção e com o  desastre no Paquistão.

Será que não lhes ocorre que estes desastres podem ter como motivos: o desmatamento, o assoreamento dos rios, a erosão causada pelo homem ao solo as queimadas e não o aquecimento global?

Nem todas as partes da Federação Russa experiente calor incomum em julho 20-27, 2010. A grande extensão do norte da Rússia central, por exemplo, com temperaturas abaixo da média. Áreas de calor atípico, porém, predominam no leste e oeste. Laranja e vermelho tingidos áreas se estendem desde a Sibéria Oriental em direção a sudoeste, mas a área mais óbvia do calor incomum ocorre norte e noroeste do mar Cáspio. Essas áreas quentes no oeste e leste da Rússia continuam um padrão perceptível no início de julho, e correspondem às áreas de seca intensa atividade e incêndios.

Ao contrário do resto do Mundo, onde uma grande parte tem experimentado um frio significativo, conforme se pode ver na imagem acima. Pode-se perguntar porque ninguém fala do frio da Rússia central, onde o gelo do Ártico não tem derretido? Ou então da Europa? Em grande parte da Eurásia, norte de África e Alaska, numa análise do Watts Up Tith That, ha 43% MAIS de pontos com temperatura abaixo do normal que acima.

Acontece que o mapa tem 43% mais pixels que estão abaixo do normal acima do normal.  O mapa não é uma projeção de área igual perfeito, então o 43%, não é um número preciso. Mas dá uma sensação para o fato de que a onda de calor de Moscovo foi apenas o tempo.

Aqui na américa do Sul é um exemplo, o inverno de 2010 está com temperaturas muito abaixo da média com frio no Mato Grosso, frio de menos de 10ºC respeito a media normal  no Acre a na Amazonia com a ola de frio che chegou até o hemisferio norte passando o equatore, a maior nevasca dos últimos 47 anos na região sul, entre outros exemplos.
Cada vez mais me estou convencido que esse modismo não passa de fonte de lucro para muitas ongs, empresas de consultoria climática, cientistas e países que querem brecar o desenvolvimento das nações em expansão como a nossa.

Ma culpar o aquecimento global não explica porque é tão quente neste verão em Moscou.

As observações de longo prazo sugerem um conjunto de casos, uma confluência incomum e sem precedentes (pelo menos desde 1950) da circulação atmosférica natural, e diversos modelos que definem o estágio combinado com o calor extremo. Adicionar a esta urbanização, mudanças nas práticas florestais as queimadura das turfeiras e talvez uma pitada do aquecimento global, e nos encontramos em uma situação que de outra forma seria “muito quente” para “Record quente.”

Queimaduras das turfeiras

Mas o importante é para a midia e TV´s brasileira e mundiais é apoiar o catastrofismo para vender mais jornais, ter mai escuta e terrorizar o povo.

SAND-RIO

One Comment

  1. Posted 12 dezembro 2015 at 2:24 AM | Permalink

    Depois de ouvir falar sobre o veráo em Moscou alcançar 41ºC, eu tive que procurar um motivo. Como assim a Rússia com verão tão quente quanto no Brasil? Bem interessante isso. Parece que o aquecimento global nunca foi o nosso maior causador de mudanças climáticas…


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: