Centenas de crianças morrem de frio no Peru. 3 Agosto neve no Sul do Brasil!

Enquanto os Media nacionais papagueiam freneticamente as centenas de mortos por afogamento na Russia,   a maior parte devido ao estado de embriaguez ou por ir a banhos em locais perigosos e proibidos, bem como as dezenas de mortos devido aos fogos,  ou até as centenas de mortos devido as chuvas torrenciais no Paquistão,  nada se ouviu sobre as mortes devidas ao frio no Hemisfério Sul.

O Peru declarou o estado de emergencia,  depois da morte de centenas de crianças devido a temperaturas muito abaixo dos registos habituais. Em 16 das 25 regiões do Peru, as temperaturas desceram abaixo de -24ºC. As comunidades remotas foram as mais afectadas, e apesar de já estarem habituadas a temperaturas negativas, não tiveram como suportar temperaturas tão baixas. Para além das mortes, a quantidade de enfermidades relacionadas com o frio é muito elevada, e mesmo os animais têm morrido em grandes quantidades. Provavelmente, com a chegada nessa semana entre o 2/8 e o 7/8 de uma onda de frio no Brasil,    os Media alarmistas nacionais acordarão para o problema…

http://www.guardian.co.uk/world/2010/aug/01/peru-freezing-weather-emergency

Outra onda de frio está chegando…

– 01/08/10 – 08h10 – Atualizado em 01/08/10

Os modelos mudaram o prognóstico em sua última rodada e ao invés de diminuírem a intensidade do frio projetado – como de costume – aumentaram e muito a potência da grande onda de frio que tomará conta de pelo menos 60% do território nacional na próxima semana.
Há previsão de até -7°C de temperatura mínima em cidades de serra de Santa Catarina e de -6°C no sudoeste do Paraná. Regiões de Palmas e Guarapuava poderão ser fortemente castigadas por geadas intensas entre quinta-feira e sábado (5 e 7 de agosto). Em parte dos três Estados sulinos, alguns modelos preveem acumulado de neve, até mesmo em regiões onde o fenômeno é raro de se presenciar.
Desta vez, a grande onda de frio promete tilintar os termômetros também, no interior paulista, onde em todo o Vale do Paranapanema, regiões desde Rosana (extremo oeste) até Ourinhos (sudoeste), a previsão de geada é grande e culturas em andamento poderão sofrer grandes perdas, com mínimas que podem ficar abaixo de 2°C em várias localidades, principalmente as áreas de baixada.


A previsão de frio extremo à severo preocupa mais em Mato Grosso do Sul, onde a última onda de frio matou quase 3 mil cabeças de gado e uma quantidade incalculável de peixes na região de Ponta Porã, no sul do Estado. Para esta cidade, a previsão para o próximo final de semana, segundo os modelos numéricos, é de que a temperatura mínima possa ser registrada em valores negativos. Até no Pantanal, região de Corumbá, o frio vai beirar 0°C.

Em parte de Mato Grosso, regiões de Rondonópolis, São Vicente, Cuiabá, Cáceres e Pontes e Lacerda, a temperatura já cai neste domingo, mas será na quinta-feira que um novo e intenso pulso polar derrubará ainda mais as temperaturas. Pode gear no centro-sul mato-grossense, entre Cáceres e Poxoréo.

Em Rondônia, Acre e sudoeste do Amazonas, o fenômeno da friagem está garantido. Cidades que normalmente registram frio intenso para os padrões amazônicos, como Vilhena em Rondônia, poderão se surpreender não com o registro de mínimas – cujo recorde de 2010 é de apenas 7,6°C em Vilhena – mas sim com a observação da sensação térmica, que é o frio sentido pelo corpo humano, em virtude da ação dos ventos. Vilhena, que na última friagem teve sensação térmica de -3°C pode registrar valores ainda mais inferiores, pois além de baixas temperaturas há previsão de ventos fortes no sul amazônico. Na cidade, quatro pessoas podem ter morrido de hipotermia na última invasão polar.

O número de pessoas que morreram por conta do frio extremo na segunda quinzena de julho já passa de 30 só no Brasil, mas em toda a América do Sul, mais de 400 perderam a vida, a maioria no Peru e na Bolívia.

A grande onda de frio, além de mexer com o cotidiano das pessoas irá alavancar um racionamento – já em andamento – brutal no consumo de gás e de energia elétrica na Argentina e no Uruguai.
Geralmente ondas de frio desta magnitude sempre deixam marcas na economia dos países e esta será mais outra que poderá ganhar a manchete dos jornais na próxima semana como “a onda de frio”.

UPDATE: Nessa madrugada 3/8 nevou no sul do Brasil… atende outras noticias.
Pela primeira vez em 2010, nevou na Serra gaúcha. Por volta das 23 horas desta segunda-feira, começaram a cair os flocos em Cambará do Sul, nos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul. O fenômeno durou mais de uma hora. Segundo a MetSul Meteorologia, a instabilidade na região mais alta do estado, associada à temperatura negativa no ponto de formação de neve favoreceram o fenômeno. Segundo o meteorologista Alexandre Nascimento, da Climatempo, a precipitação foi fraca.

A forte massa de ar polar, uma das mais intensas do ano, e a umidade intensa formam uma condição favorável para a queda de neve – afirma o meteorologista, que reforça a possibilidade de novas ocorrências do fenômeno nesta terça e quarta.

– Tanto na Serra gaúcha, quanto na catarinense, onde as temperaturas devem ficar entre 2 graus abaixo de zero e 6 graus Celsius, pode nevar de novo nesta terça e quarta – garante Nascimento.

Segundo a MetSul Meteorologia, a previsão é de que possa nevar nas próximas horas nas áreas mais altas do Nordeste gaúcho e do Planalto Sul Catarinense. Também há possibilidade de nevar nesta quarta entre as áreas mais altas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além do Uruguai e do Sul gaúcho.

É a segunda vez que neva no Brasil em 2010. Na cidade de Luzerna, em Santa Catarina, nevou por cerca de 15 minuto no dia 15 de julho pela manhã. A última vez que nevou em Cambará do Sul foi em 2007.

UPDATE:

Levantamento da MetSul Meteorologia indica que até a manhã desta quarta-feira pelo menos 16 municípios gaúchos e catarinenses – onze no Rio Grande do Sul e cinco em Santa Catarina – tiveram neve. Até às 9h desta quarta, havia nevado em bairros de Caxias do Sul, em Gramado, Vacaria, Campestre da Serra, Cambará do Sul e pontos de Crissiumal, Tiradentes do Sul, Boa Vista do Buricá e Três de Maio, todos no Rio Grande do Sul. Já havia nevado em Cambará do Sul, interior de Canela e São Francisco de Paula. Nevou ainda no Morro da Igreja em Urubici, Lages, Bom Jardim da Serra e em Urupema, em Santa Catarina. Segundo a central de meteorologia, voltou a nevar em municípios gaúchos e catarinenses . Por volta das 11h10m, começou a nevar em Bom Jesus e em São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul, e em Urubici, Bom Retiro e São Joaquim, em Santa Catarina.

A neve acumulou sobre automóveis e a vegetação na cidade de Gramado. Foi a nevada mais forte desde 2000, segundo a MetSul. A neve caiu por mais de 15 minutos ao amanhecer desta quarta-feira. Os termômetros ainda marcavam dois graus negativos às 8h da manhã e a neve caiu às 5h. Turistas enfrentaram a baixa temperatura para ver o fenômeno nas ruas.
A cidade já está recebendo turistas que vão acompanhar a 38ª edição do Festival de Cinema de Gramado. Quem chegou nesta quarta, pode conferir a neve acumulada nas hortênsias e no pórtico do Lago Negro e no Lago Joaquina Rita Bier. Terceiro destino turístico mais visitado do Brasil nesta época do ano, Gramado está com 90% dos 146 hotéis e pousadas lotados. Normalmente, todos os anos, no mês de julho, uma média de 300 mil pessoas visitam a cidade.

Em algumas localidades de Santa Catarina, o amanhecer desta quarta teve o que os meteorologistas chamam de garoa congelante. A garoa cai na forma líquida e congela ao atingir as superfícies expostas.

Nevou também no Uruguai. Na noite de segunda-feira e durante a terça-feira houve neve granular (graupel) e flocos de neve misturados à chuva em vários pontos do Sul e do Leste do país, inclusive em Melo, que está muito próxima de Bagé. A neve granular (graupel) também foi registrada no ponto mais alto da capital uruguaia, o Cerro de Montevidéu.

Segundo os meteorologistas, persistem as condições de neve nas próximas horas na Serra do Nordeste, no Rio Grande do Sul, e no Planalto Sul Catarinenses, além do Planalto Médio e do Alto Uruguai. Entre Crissiumal e Três de Maio, noroeste do Rio Grande do Sul, perto de Santa Rosa, houve queda de grãos de gelo (graupel/neve granular). Segundo os meteorologistas, trata-se de uma ocorrência rara, considerando as menores altitudes.

A circulação de umidade do mar, que deve trazer pancadas de chuva nesta quarta e principalmente quinta para o Leste do Rio Grande do Sul também pode trazer nova ocorrência de neve ou chuva congelada no Sul gaúcho. A quarta-feira começou gelada com 1ºC em Canoas na Grande Porto Alegre e marcas negativas no interior do estado com geada forte na maioria das regiões. No Paraná, Curitiba deve ter um dos dias mais gelados. A região da capital do Paraná amanheceu com chuva e 4ºC.

SAND-RIO

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: