Massa de ar frio ultrapassa linha do Equador, chega ao Hemisfério Norte, deixa 80 mortos e traz neve inédita no Chaco.

Nota da agência de notícias espanhola EFE dá conta de que até o momento a histórica onda de frio na América do Sul já deixou cerca de 80 mortos, a maioria na Argentina, Paraguai e Bolívia. A influência da massa de ar frio continental, acredite, chegou ao Hemisfério Norte. A temperatura em São Gabriel da Cachoeira, onde se encontra o Parque Nacional do Pico da Neblina, e que faz fronteira com a Colômbia e a Venezuela, registrou hoje uma mínima de 16,4ºC. Ontem, a localidade (mapa abaixo) já tinha anotado 18,5ºC. O detalhe é que entre 1 e 16 de julho a temperatura jamais havia baixado de 21ºC.



Em Roraima, a capital Boa Vista teve hoje mínima de 20,9ºC contra 23,7ºC da véspera. A cidade está a 02º49 de latitude Norte, ou seja, significa que a influência da massa de ar frio chegou ao Hemisfério Norte. No raciocínio inverso, é como se uma massa de ar polar do Ártico conseguisse chegar a 2º de Latitude Sul, isto é, a Santarém no Pará.
O frio segue sem dar trégua há vários dias no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, o que é incomum. Pelo menos duas mil cabeças de gado já teriam morrido em razão da onda de frio no Mato Grosso do Sul. Nas cidades de Porto Murtinho, Caracol e Bela Vista, são pelo menos 350 registros de cabeças de gado perdidas. Já em Caarapó e Antônio João são outros 700 animais mortos. O número pode ser maior já que há outras mortes que ainda não foram contabilizadas.

Em Iquitos, no Peru, fez 14,2ºC ontem e 15,5ºC nesta segunda-feira. No Paraguai, o problema se repete. De acordo com a Associação Rural Paraguaia, pelo menos mil cabeças de gado pereceram com a baixa temperatura. Na Bolívia, o inusitado. De acordo com a imprensa local, nevou no Chaco boliviano. Nunca antes se tinha visto o fenômeno, informou a Rádio Paparetí.

Aqui no Rio Grande do Sul a segunda-feira é gelada, sobretudo no Centro, Sul e Oeste do Estado, mas especialmente no Noroeste. Devido ao sistema de baixa pressão no Rio da Prata, o ar gelado está ingressando no Sul do Brasil pelo Norte da Argentina, o que faz com que as menores marcas sejam observadas no Oeste do Sul do Brasil. O frio, apesar de não ser nenhuma surpresa, impressiona pela raridade de sua força em horas da tarde com registro de 4ºC e chuva no Noroeste gaúcho, Oeste Catarinense e Sudoeste do Paraná às 15h, hora habitualmente mais quente do dia.
Nenhum modelo indica, por falta de temperatura mais baixa em níveis de 850 hPa, mas, por experiência, não se pode afastar uma pequena margem para ocorrência de neve nas próximas horas nas partes altas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina à medida que ar mais gelado chegar a estas regiões entre hoje e amanhã ainda com instabilidade.

Nesta terça-feira, sob influencia de ar seco e frio, a partir do afastamento da frente fria para o mar, a expectativa é de um dia de sol e nuvens que deve começar gelado com mínimas de até 0ºC a 3ºC na maior parte do Estado com frio mais intenso especialmente no Oeste e Noroeste onde alguns pontos devem ter marcas negativas e geada. Já a quarta-feira segue sendo considerada muito preocupante pela MetSul Meteorologia. Os modelos insistem numa intensa corrente de jato (vento) em baixos níveis da atmosfera sobre o centro da América do Sul.

Com esse intenso jato, com vento prognosticado pelo modelo de 35 a 40 m/s a 1500 metros de altitude, é de se cogitar de vento Norte com rajadas muito fortes no interior, sobretudo na região de Santa Maria, onde não descartamos danos estruturais. O fenômeno deve trazer ainda ar quente para a Metade Norte do Estado com forte elevação da temperatura e calor à tarde, sobretudo na Metade Norte, com máximas que podem chegar a 28ºC em algumas localidades. Alguns modelos colocam chuva já de manhã no Centro do Estado, inclusive em Porto Alegre, o que inibiria um forte aquecimento na Capital e cidades próximas, mas com o jato exatamente sobre o Centro do Rio Grande do Sul cremos que o tempo poderia ficar seco com chuva da tarde para a noite por conta de uma frente fria. Essa frente pode provocar tempo muito severo com chuva forte a torrencial, granizo e vendavais, até intensos e capazes de provocar danos, especialmente do Centro para o Norte do Rio Grande do Sul.
Autor: Eugenio Hackbart

Site: http://www.metsul.com/blog/

One Comment

  1. Posted 11 março 2011 at 8:11 PM | Permalink

    aqui nu maranhão morre gado maIS NÃO COMO MORRE AI


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: